ACM Neto denuncia retirada de PMs da Prefeitura pelo governo do Estado

ACM Neto denuncia retirada de PMs da Prefeitura pelo governo do Estado
17 agosto 19:43 2017 Imprimir esta notícia

Um dia após o prefeito ACM Neto cobrar providências ao governo do Estado para o problema da segurança pública na Bahia, sobretudo na capital baiana, 20 dos 35 policiais militares que estavam à disposição da gestão da segurança em postos de saúde do município e da proteção institucional da Prefeitura foram retirados de suas funções, para as quais eram remunerados pelo Executivo municipal. Em resposta à iniciativa do Estado, ACM Neto afirmou que a atitude é contrária à cidade e revela uma postura autoritária por parte do governador Rui Costa. O prefeito frisou ainda que essa “ação persecutória” não abalará a gestão municipal.

“Ontem (durante inauguração de um posto de saúde em Bom Juá) fiz um pronunciamento cobrando providências do governador a respeito da situação da segurança pública na cidade de Salvador e no estado da Bahia. Infelizmente, a criminalidade e a violência vêm tomando conta das ruas da nossa cidade, e o que fez o governador diante da minha cobrança, cobrança que não foi apenas em meu nome, foi em nome de milhares de baianos? Foi determinar a retirada de mais da metade dos policiais que estão à disposição da gestão dos postos de saúde do município e da proteção institucional da Prefeitura”, afirmou ACM Neto.
O prefeito também deixou um recado ao governador: “Se o senhor acha que isso vai calar a minha voz, que não vou ter coragem de falar, em nome dos baianos, dos problemas da segurança pública, está muito enganado. Tenha certeza que a minha voz será sempre a voz dos baianos, e eu vou continuar cobrando do governo do Estado, que vem perdendo a batalha para o crime, que comece a tomar providências. Então, tanto o senhor quanto o secretário de Segurança Pública, ao adotarem essa medida, só aumentam ainda mais a minha responsabilidade com Salvador e com a Bahia de ajudar todo esse povo a superar o problema da segurança pública em nosso estado”. (Da redação TN)
  Categorias: