APLB acusa secretário de coação e ele se defende culpando o sindicado de incoerência com a classe em Caravelas

APLB acusa secretário de coação e ele se defende culpando o sindicado de incoerência com a classe em Caravelas
07 junho 11:39 2016 Imprimir esta notícia

A APLB de Caravelas, entidade sindical que defende os interesses dos professores, através do seu presidente José Mirovêo, publicou na tarde da última sexta feira (03/06), nas redes sociais e em vários veículos de comunicação na Internet da região, uma nota de repúdio contra o secretário municipal de Educação de Caravelas, Aristóteles Farias, o acusando de coação pelo motivo da sua ação pessoal nas escolas no intuito de convencer os professores a assinar um requerimento pedindo desfiliação do sindicato da categoria no município.

Na noite desta segunda-feira (06/06), o secretário Municipal de Educação de Caravelas, Aristóteles da Conceição Almeida de Farias divulgou uma nota se defendendo da acusação feita pela APLB Sindicato. E culpa a APLB de Caravelas que foi eficiente na cobrança judicial com os mais ou menos 90 sócios e falharam com os demais 300 na regularização de vossas mensalidades.

A Nota

Sirvo-me do presente para esclarecer na qualidade de titular da Secretaria Municipal de Educação há pouco mais de três meses, não posso me conformar que a minha imagem seja denegrida por um militante que é presidente de um sindicato e que parece não zelar por todos os seus sócios com igualdade, considerando que a APLB/SINDICATO travou uma disputa com a Prefeitura há mais ou menos 20 meses atrás, na qual resultou numa decisão que obrigou a Prefeitura parar de descontar em folha a mensalidade dos sócios da APLB.

Com isto, a entidade municipal não mais repassou a referida taxa sindical, até o deslinde do processo em tramitação na justiça estadual.  A APLB tem aproximadamente 392 sócios, sendo que deste total, manteve pela via judicial em torno de 90 sócios pagando. Os restantes, cerca de 300 sócios ficaram esquecidos e aparentemente inadimplentes em mais de 20 meses, que multiplicado por um e meio por cento do salário base contempla um total de cerca de 30% do salário.

O que significa isto? A resposta é que se os funcionários não fizerem nada e vão ficar com um passivo considerável em seus vencimentos, ou seja, uma dívida de 30% do salário base a favor da APLB. Tudo isso por responsabilidade do núcleo sindical de Caravelas, uma vez que a culpa da inadimplência não é dos funcionários, considerando que se a APLB/SINDICATO foi eficiente na cobrança judicial com os mais ou menos 90 sócios e faltou com a coerência falhando com os demais 300 para regularizar a mensalidade.

Com isto fica esclarecido que na condição de secretário Municipal de Educação fui a cada escola, não para coagir mais para explicar o que poderá acontecer caso os associados que estão aparentemente inadimplentes não façam nada, assim como para que os mesmos não sejam surpreendidos por desconto em folha no futuro. É válido ressaltar que as autorizações para desconto em folha não são atuais, o que justifica a preocupação em esclarecer minuciosamente toda a situação aos nobres servidores públicos municipais.

Na atual situação que estamos vivendo não poderia deixar de mostrar que a APLB é a principal culpada por este acumulo de mensalidade atrasada uma vez que cerca de 90 associados estão quites e o restante foi esquecido e se acontecer um desconto de 30%, irá desestabilizar financeiramente qualquer funcionário, sendo que o reflexo disso vai ser na execução da tarefa diária, e isto não é bom para ninguém, inclusive para a APLB, que deveria ter por missão zelar por todos os sócios – assinado Aristóteles da Conceição Almeida de Farias.

  Categorias: