Athylla Borborema lança edições inéditas das suas obras na 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo

Athylla Borborema lança edições inéditas das suas obras na 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo
12 agosto 23:55 2018 Imprimir esta notícia

A 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo que começou no dia 3 e terminou na noite deste domingo, dia 12 de agosto, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, no bairro de Santana, que em 2018 trouxe o tema “Venha fazer esse download de conhecimento”, atraiu 700 mil aficionados pela leitura e ofereceu 1,5 mil horas de atividades ao longo de dez dias, numa programação cultural abrangente, mesclando literatura, gastronomia, cultura, negócios e muita diversão em um evento que foi palco para o encontro das principais editoras, livrarias e distribuidoras do país, apresentando seus mais importantes lançamentos em um espaço total de 70 mil m² que teve 45 restaurantes e lanchonetes.

bied1Conforme o engenheiro e escritor Luís Antônio Torelli, presidente da Câmara Brasileira do Livro (CBL), entidade idealizadora e gestora da Bienal Internacional do Livro de São Paulo, a maior feira de livro da América Latina, este ano o evento restabeleceu suas vendas após as duas últimas edições afetadas pela crise econômica do país onde 492 marcas apresentaram seus mais importantes lançamentos e 4,8 milhões de títulos foram comercializados e 385 autores estiveram presentes como convidados da programação da Bienal. Este ano o evento recebeu 702 mil visitantes, recebendo 18 mil pessoas a mais em relação a edição anterior.

bied2Além das tradicionais sessões de autógrafos e estandes de editoras, a Bienal teve uma extensa programação de palestras com escritores, debates sobre atualidades, local para saraus e shows, espaço infantil e área dedicada à gastronomia e a literatura de cordel nordestina. As principais atrações da 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo em 2018, foram os best-sellers estrangeiros que levaram os fãs a formar aquelas filas gigantes para pegar um autógrafo.

bied3O time de escritores brasileiros da Bienal também foi forte com autores que arrastam multidões: Mauricio de Sousa, Ziraldo, Fernanda Montenegro, Lázaro Ramos, Antônio Prata, Raphael Montes, Vitor Bonini, Julián Fuks, Luiz Ruffato, Ana Maria Machado, Djamila Ribeiro, Ana Maria Gonçalves, Miriam Leitão, Maria Ribeiro, Fabrício Carpinejar, Walcyr Carrasco, Adriana Falcão, Bela Gil, Ryane Leão, Alice Sant’Anna, Moraes Moreira, Socorro Lira, Maciel Melo, Bráulio Tavares, Elisa Lucinda, Eva Furnari, Xico Sá, Sérgio Vaz, dentre tantos outros.

bied4Um dos 10 autores baianos que representaram a Bahia na 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, em 2018, esteve o escritor e jornalista Athylla Borborema que lançou pela Editora PerSe (SP) duas edições inéditas dos seus livros mais importantes e mais lidos ao longo dos seus 25 anos de literatura: A 2ª edição do seu primeiro livro “Amor à Paz” lançado pela primeira vez em 1º de setembro de 1993 e o seu livro mais famoso “A Menina do Céu Cor-de-Rosa” que ganhou a 8ª edição durante a Bienal.

bied5O livro “Amor à Paz” de frases de sabedoria olímpica de 900 páginas que foi todo adaptado para o seu lançamento na 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo foi, sobretudo, o ingrediente principal para se comemorar os 25 anos do autor na literatura brasileira. O livro traz na apresentação uma homenagem ao radialista e jornalista Antônio Araújo Santana, um dos primeiros professores do escritor no inicio da sua carreira jornalística e que prefaciou a obra na primeira edição em 1993.

bied6Athylla Borborema é considerado um dos escritores nordestinos mais inovadores e originais de seu tempo e um dos maiores entusiastas da educação através da arte e da literatura, seu trabalho atualmente ocupa a lista das obras mais recomendadas da literatura nacional. Ele é titular de uma grande contribuição ao jornalismo, à cultura, à literatura e à política. As suas obras representam o auge artístico do escritor e jornalista, que sabe documentar como ninguém o seu tempo.

bied7Autor com mais de 30 livros publicados, todos campeões de vendas e premiados no mundo inteiro. Dentre os seus livros mais famosas estão: Comunicação na Bandeja; Casamento Sem Sexo; O Poeta que Comprou o Mar; Arroto; Infância Violentada; O Poeta que não Conseguiu Morrer; A Fome que me Comia; Do Assessor de Imprensa ao Assessorado; Meus Gatos, Meus Anjos; Um Gole D’Água; A Prova do Crime; Menino da Roça; O Capoeirista das Palavras; O Diálogo do Perito com o Cadáver; A Garotinha do Vestido Azul; A Menina do Céu Cor-de-Rosa e tantos outros. Como comprar.

bied8O livro “A Menina do Céu Cor-de-Rosa” é um romance policial contagiante, intrigante e excitante que tem enriquecido a bibliografia do jornalismo literário nacional e é talvez o livro mais lido de Athylla Borborema e que ganhou na 25ª Bienal, uma edição revista e ampliada com o lançamento da sua 8ª edição. O autor narra à história da jovem MSC. Um clássico baseado em um fato real que reúne ficção e realidade na história de uma adolescente que estuprada pelo pai, é forçada a encarar o mundo da prostituição, apostar na sorte, experimentar fetiches e acaba caindo em um túnel escuro regado a drogas e assume o risco de perder para sempre aquilo que tem de mais valoroso: ela mesma.

bied9“A Bienal Internacional do Livro de São Paulo é o imenso palco que celebra a transformação que os livros fazem na vida das pessoas. Momento de aprender, conhecer autores, realizar sonhos, encontrar novos livros, fazer novos amigos. Isso aqui é um mundo de fascínio, conhecimento e alegria. Essa foi à segunda vez que participei deste evento encantador como escritor convidado para representar o meu Estado (a Bahia) e mais uma vez pude comprovar que o livro é o benfeitor da humanidade”, festejou Athylla Borborema.

bied11E acrescentou: “É fascinante conviver todos os dias com 120 mil pessoas ao mesmo tempo, aficionadas pela leitura. A Bienal é o lugar certo para se aproximar de seus autores preferidos nas sessões de autógrafos, participar da extensa programação cultural com atividades para todas as idades e preferências, ampliar e solidificar amizades, além de ampliar o conhecimento com a imensidão de oportunidades oferecidas pelos livros. O papel do evento é justamente esse, incentivar a literatura, cultura e educação”, literatizou o escritor. (Da redação TN)

  Categorias: