Brasil bate recorde com doze milhões de pessoas sem empregos

Brasil bate recorde com doze milhões de pessoas sem empregos
30 dezembro 11:34 2016 Imprimir esta notícia

O desemprego no Brasil atingiu 11,9% no trimestre encerrado em novembro, o equivalente a 12,1 milhões de pessoas desocupadas. A taxa de desocupação e o contingente de pessoas são os mais altos da série histórica da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (Pnad Contínua), iniciada em 2012.

Os dados foram divulgados, ontem, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A Pnad Contínua analisa informações de todos os trabalhadores do país, com ou sem carteira assinada. Segundo a pesquisa, houve aumento na fila de emprego, redução de vagas, aumento da informalidade e também do desalento, que é quando a pessoa desiste de procurar emprego por falta de oportunidade.

Os dados de novembro são semelhantes aos do período imediatamente anterior (junho a agosto), quando a taxa de desocupação fechou em 11,8%. Ainda assim, houve o incremento de 109 mil pessoas em busca de emprego no período. Em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, foi registrada uma alta de 2,9 pontos percentuais.

O número de desempregados teve um crescimento de 33,1% em relação ao mesmo trimestre do ano passado – o equivalente a 3 milhões de pessoas a mais em busca de trabalho. O contingente atual de pessoas ocupadas, que são as que de fato estão trabalhando, é de 90,2 milhões.

A população desocupada é formada por desempregados que estão em busca de oportunidade. O crescimento dos desocupados significa que pessoas que não trabalhavam nem procuravam emprego passaram a buscar uma vaga no mercado de trabalho.

Tiveram retração no trimestre os setores de agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e agricultura (-3,9%) e de construção (-2,2%). O crescimento aconteceu nas áreas de alojamento e alimentação (4,6%) e de outros serviços (alta de 5,7%). (Informações: Correio)

  Categorias: