Câmara homenageia com “titulo de cidadão” o vereador Valzão após 20 anos de parlamento em Itamaraju

Câmara homenageia com “titulo de cidadão” o vereador Valzão após 20 anos de parlamento em Itamaraju
08 dezembro 16:28 2016 Imprimir esta notícia

Na sessão da Câmara Municipal de Itamaraju na última terça-feira (06/12), sob a presidência do vereador Francisco Carlos Barbosa da Silva, o “Chico do Hotel” (PP), o vereador Paulo Vitor Moreira Costa (PT) teve aprovado pela unanimidade do parlamento um Projeto de Resolução que concedeu o titulo de cidadão honorário ao colega de parlamento Osvaldo Silveira Rocha, o “Valzão” (PT). Tanto o autor do projeto, quanto o homenageado estão deixando o legislativo no próximo dia 31 de dezembro.

O vereador Valzão está concluindo o seu 5º mandato de vereador pelo município de Itamaraju e nas últimas eleições não conseguiu a sua reeleição. Na penúltima eleição ele foi o 10º mais votado do município e se reelegeu para o 5º mandato com 600 votos, já nas ultimas eleições municipais ele foi 19º mais votado do município com 492 votos e conquistou apenas a 2ª suplência da sua coligação partidária.

Com 20 anos de experiência parlamentar na Câmara Municipal de Itamaraju, Valzão se tornou um dos edis mais experientes vereadores e de grande contribuição oferecida ao município. Autor de um trabalho social salutar, ele ainda é no parlamento nestas duas décadas um dos homens mais coerentes. Seus discursos sempre foram pautados na razão e sempre agiu com sabedoria quando o assunto era pertinente à população do município.

Decisivo nas suas opiniões, Valzão herdou a determinação do MST – Movimento dos Sem Terra, do qual é militante desde jovem e se mantém defendendo o movimento em favor do homem da terra. Um apaixonado pela agricultura familiar e pela reforma agrária, Valzão foi um dos fundadores de um dos primeiros assentamentos agrários do Brasil que hoje é modelo para o mundo em agricultura familiar que é o Assentamento de Reforma Agrária Corte Grande, numa região de limite entre os municípios de Itamaraju e Prado.

Valzão nasceu no município de Macarani, no sudoeste da Bahia, no dia 10 de maio de 1959. Ele é o penúltimo de 11 irmãos, os pais eram agricultores. Chegou a Itamaraju aos 25 anos, em 1984 para trabalhar no ramo de farinheira e em 1987, ingressou no movimento da reforma agrária. E em 1994, filiou-se ao Partido dos Trabalhadores e dois anos depois se elegeu vereador pela primeira vez em Itamaraju.

Para o vereador Paulo Vitor, autor do projeto que lhe concedeu o título de cidadão honorário, a figura de Valzão representa austeridade, honestidade e retidão, porque foi um homem que sempre encarou a política com muita seriedade e nuca se deixou se corromper e nem se influenciar por medidas tortuosas, onde a sua convicção sempre foi regra maior.

“Valzão sempre foi o nosso exemplo e vai continuar sendo o nosso grande conselheiro. O seu perfil nos orgulha e nos doutrina. O parlamento perde um grande homem público por este período, mas em compensação ganha a sua família, seus amigos e ganha a reforma agrária”, disse Paulo Vitor.

Valzão é casado há mais de três décadas com Verimar Franca Rocha “Vera” com a qual teve dois filhos, Daniele e Osvaldo Filho, o “Branco”. Tem três netas: Eloísa, Leda e Ana Júlia. Em 6 de agosto de 2015, Valzão sofreu o maior golpe da sua vida, quando perdeu por causas naturais o seu filho “Branco” aos 27 anos de idade.

Valzão é católico praticante e sempre esteve envolvido nas festividades e atividades religiosas do município. Em 1997, assumiu a Secretaria Municipal de Obras de Itamaraju, mas entregou o cargo 6 meses depois por não ter concordado com o perfil administrativo do gestor da ocasião.

Ao receber um telefonema da redação do Teixeira News para falar do título, o vereador Osvaldo Silveira Rocha, o “Valzão”, de 57 anos, disse que ficou emocionado pela lembrança dos colegas vereadores e que não esperava a homenagem feita pelo parlamento onde esteve por 20 anos. Valzão que é agricultor e produtor de pimenta e café, e também comerciante do ramo de materiais de construção, disse que deixa a vereança, mas continuará no mesmo lugar servindo aos irmãos e que aproveitará este período para se dedicar mais a sua família e os seus negócios profissionais. (Por Athylla Borborema).

  Categorias: