Caravelas: Moradores fecham BR-101 em protesto pela morte do menino Felipe e por mais segurança em Rancho Alegre

28 julho 12:19 2016 Imprimir esta notícia


Moradores do distrito de Rancho Alegre, na altura do Km-900 da BR-101, no município de Caravelas, fecharam a rodovia BR-101 na manhã desta quarta-feira (27/07), por um período de 3 horas e 35 minutos, num protesto em que os moradores estão reivindicando para o distrito um destacamento da Polícia Militar.

Conforme o vereador Paulo Barreto (PMDB), o distrito de Racho Alegre está há quase 2 anos sem a presença de um destacamento da Polícia Militar, mesmo existindo na localidade um posto policial e alojamento adequado para abrigar os profissionais e como já aconteceu em outras épocas, os moradores voltaram a fechar a BR-101 como a única forma que eles têm de chamar atenção das autoridades políticas e da segurança pública para atender seus reclames.

rand1Segundo Otávio Junior, o “Tavinho” outro morador do distrito de Rancho Alegre, é inadmissível que um povoamento de tamanha proporção populacional e às margens de uma rodovia federal fique desguarnecido por tanto tempo sem policiamento. E relata que Rancho Alegre nos últimos dias esteve nas páginas policiais em razão dos vários fatos ocorridos como assassinato, assalto à mão armada e homicídio tentado.

O protesto começou às 06h45 e só terminou às 10h20. Inicialmente os agentes Batista e Costa, da Polícia Rodoviária Federal (PRF) mantiveram o diálogo com os manifestantes, mas solicitaram reforços pois os moradores estavam irredutíveis para desbloquear o trânsito. A liberação da pista só aconteceu com a chegada dos policiais da CAEMA – Companhia de Ações Especiais da Mata Atlântica. O capitão Abraão Farias dialogou com os lideres da manifestação e em 5 minutos de conversa os manifestantes desobstruíram a barreira e liberaram o trânsito.

rand2Os moradores não só reivindicam segurança para o distrito de Rancho Alegre, como protestam sobre a morte do menino Felipe que foi morto durante um assalto na sexta-feira do último dia 22 de julho, por dois adolescentes moradores da comunidade. O menino Felipe que tocava flauta no grupo da Igreja Batista Central onde congregava com a família em Teixeira de Freitas, morreu após ter sido espancado por dois adolescentes de 15 e 16 anos durante um assalto em uma estrada vicinal que liga a cidade de Teixeira de Freitas à comunidade quilombola de Volta Miúda, no município de Caravelas.

O crime aconteceu por volta do meio-dia da última sexta-feira (22), quando o comerciante Valdeixo Lisboa dos Santos, o “Liliu”, 49 anos e seu filho Felipe Gomes Lisboa, de 8 anos, seguiam para o sítio da família no município de Caravelas. Os dois infratores foram apreendidos na noite daquele mesmo dia por policiais militares da CAEMA, em Rancho Alegre, distrito também do município de Caravelas.

rand3Todos os pertences das vítimas foram recuperados e os adolescentes infratores confessaram que venderiam a moto por R$ 600,00 para um receptador no município de Nova Viçosa. Na noite desta segunda-feira (25), um comparsa dos menores infratores, atacou a golpes de faca o jovem Laudelino Ricardo Batista, 21 anos, porque suspeitava que a vítima havia fornecido informações sobre o esconderijo da dupla de menores por ocasião da sua prisão pela CAEMA.

O grupo de criminosos teria participação de outros crimes de roubos na região, inclusive cometido o latrocínio do idoso Pedro Alves de Araújo, 80 anos, no último dia 10 de maio, no próprio distrito de Rancho Alegre (roubo seguido de morte), quando o ancião foi mortalmente atacado a golpes de faca no interior da sua própria casa. (Por Athylla Borborema).

  Categorias: