Carletto quer que substância que combate o câncer seja reconhecida como medicamento

Carletto quer que substância que combate o câncer seja reconhecida como medicamento
30 dezembro 09:52 2015 Imprimir esta notícia

Sugerir o estabelecimento de procedimentos que deem maior celeridade na apreciação dos pedidos que envolvam estudos, ensaios clínicos e o registro sanitário da fosfoetanolamina, substância com potencial terapêutico contra o desenvolvimento de cânceres. Esse é o objetivo da Indicação nº 1.442/2015, do deputado federal Ronaldo Carletto (PP).

De acordo com o parlamentar, é fundamental a análise dos aspectos sanitários de medicamentos inovadores com ação sobre o crescimento e o desenvolvimento de tumores malignos. “A celeridade na aprovação de novas substâncias que tenham demonstrado ação na eliminação de células malignas, ou no controle de seu crescimento, pode ser um diferencial na vida de muitos pacientes que lutam contra as neoplasias. Esse é o caso da fosfoetanolamina”, ressaltou.

Porém, a referida substância ainda não pode ser qualificada como medicamento, tendo em vista a inexistência de estudos científicos adequados e ensaios clínicos em humanos, bem como a ausência de produtos registrados como tal perante as autoridades sanitárias. “A equipe de pesquisadores que estuda há mais de vinte anos essa substância relatou, inclusive em revistas científicas de renome internacional, as propriedades promissoras da fosfoetanolamina no combate a diversos tipos de cânceres. É extremamente desejável que o Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária priorizem a realização de análises, estudos, ensaios e o registro sanitário de processos que envolvam a fosfoetanolamina, conferindo maior celeridade nos procedimentos voltados para o seu reconhecimento como medicamento”, finalizou o deputado. (Da redação TN)

  Categorias: