Com PM em greve, Espírito Santo tem recorde de assassinatos e já soma 62 mortes desde sábado

Com PM em greve, Espírito Santo tem recorde de assassinatos e já soma 62 mortes desde sábado
07 fevereiro 01:01 2017 Imprimir esta notícia

A falta de policiais militares nas ruas do Espírito Santo há três dias já reflete no número de mortes. De acordo com o Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol), o Estado já tem recorde de homicídios.

Do último sábado (4) até as 17h30 desta segunda-feira (6) foram 62 mortes. A ausência de policiamento é devido a manifestações de familiares de PMs, que estão impedindo a saída de viaturas dos batalhões há três dias.

OS NÚMEROS

Homicídios no sábado (04): 4 na Grande Vitória e 4 no interior

Homicídios no domingo (05): 13 na Grande Vitória e 4 no interior

Homicídios na segunda-feira (6) até as 14h39: 26 na Grande Vitória e 7 interior

Entre 14h39 e 15h30 foram registrados outros quatro homicídos

O presidente do Sindipol, Jorge Emilio, explica que a média diária de homicídios de janeiro deste ano foi de quatro mortes. Já no início de fevereiro, a média foi de duas mortes por dia. “Neste final de semana, com o clima de insegurança, já são mais de 50 mortes. No sábado, foram 8 homicídios e ontem, domingo, foram 16 mortes. Esse número de mortes é recorde”, diz.

Ele defende que a manifestação de parentes dos policiais militares, que já resulta no aumento de assaltos e homicídios, é reflexo da precarização da segurança pública no Estado.

“Com isso, a sociedade é afetada. E a Polícia Civil também é afetada por não dar conta da demanda de ocorrências, e também está com poucos profissionais trabalhando. Apoiamos a PM, que está sendo afetada, sem o reajuste salarial”, afirma Jorge Emílio. (Informações: Rede Gazeta)

  Categorias: