De olho em prazo apertado a Rural & Cia promove mutirão de CAR/CEFIR no extremo sul da Bahia

De olho em prazo apertado a Rural & Cia promove mutirão de CAR/CEFIR no extremo sul da Bahia
26 janeiro 13:03 2018 Imprimir esta notícia

A maioria dos proprietários rurais do extremo sul ainda não realizou inscrição no Cadastro Ambiental Rural (CAR), no Estado da Bahia, chamado de Cadastro Estadual Florestal de Imóveis Rurais (CEFIR). Há quase 04 meses do fim do último prazo estipulado pelo Governo Federal, a adesão ao cadastro é uma das obrigatoriedades previstas no Código Florestal, vigente no País desde 2013. Quem não se inscrever até 31 de maio de 2018 poderá ser impedido de tomar crédito rural em agências bancárias, perder benefícios como a anistia sobre as infrações cometidas antes de 22 de julho de 2008, a regularização ambiental do imóvel é necessária, além de ficar sujeito a outras penalidades previstas em lei.

De olho no prazo, objetivando auxiliar os produtores da região a se cadastrarem a tempo, a empresa de consultoria Rural & Cia – Engenharia e Geotecnologias, sediada em Itamaraju, colocou todo seu escritório à disposição dos ruralistas da região e está promovendo um mutirão de serviços do CAR/CEFIR. Para participar e não perder o prazo, que não será adiado novamente, o produtor precisa procurar a Rural & Cia, na Praça da Independência nº 278, no centro da Cidade Baixa, em Itamaraju; ou ligar para o telefone (73) 3294-2112.

Segundo a contabilista e administradora Ana Lúcia Amorim, presidente executiva da Rural & Cia, a inscrição no CAR é um registro eletrônico obrigatório feito a partir de imagens georreferenciadas, que indica a situação ambiental de todas as propriedades e posse rural, reunindo informações sobre as Áreas de Preservação Permanente (APPs), reserva legal, remanescentes de vegetação nativa, áreas consolidadas, dentre outras.

A Rural & Cia é a mais importante e conceituada empresa neste setor no extremo sul do Estado e com tradição em seus serviços, dotada de uma equipe técnica especializada e equipamentos de última geração para elaboração de um CAR de qualidade, promovendo acurácia e agilidade do cadastro, evitando assim que o produtor rural tenha problemas futuros quanto a retificação das informações declaradas.

Mapa do CSR/CEFIR no extremo sul

Segundo dados do Sistema Nacional de Cadastro Ambiental Rural, Jucuruçu é o município do extremo sul da Bahia com o menor número de cadastros, com apenas 21,18% dos imóveis inscritos no CEFIR, seguido de Guaratinga, com 29,93%; Porto Seguro, 36,03%; Itabela, 36,23%; Medeiros Neto, 43,21%; e Itamaraju, com 44,74% as áreas inscritas. O município com maior número de cadastros realizados é Nova Viçosa, com 72,88% de seus imóveis rurais cadastrados, seguido de Alcobaça, com 63,60%; Ibirapuã, 61,71%; Caravelas, 60,13%; Mucuri, 57,79% e Santa Cruz Cabrália, com 56,46% de imóveis rurais cadastrados. Já os municípios de Itanhém, Vereda, Itagimirim, Teixeira de Freitas, Prado, Lajedão e Eunápolis, possuem, em média, metade das áreas rurais inscritas no CEFIR.

O território do extremo sul baiano tem aproximadamente 2.768.273,12 (dois milhões, setecentos sessenta e oito hectares, duzentos e setenta três áreas e doze centiares) ainda falta mais de 1.400.000 (um milhão e quatrocentos hectares) sem cadastro. Segundo ainda dados do Sistema Nacional de Cadastro Ambiental Rural as regiões norte, sudeste e sul do Brasil são 100% demarcadas e cadastradas, o centro-oeste já chega a 96,5% e o nordeste é ainda a maior área necessitando de cadastros com 87,2% de área cadastrada.

O Cadastro Ambiental Rural (CAR) é um instrumento fundamental para auxiliar no processo de regularização ambiental de propriedades e posses rurais. Consiste no levantamento de informações georreferenciadas do imóvel, com delimitação das Áreas de Proteção Permanente (APP), Reserva Legal (RL), remanescentes de vegetação nativa, área rural consolidada, áreas de interesse social e de utilidade pública, com o objetivo de traçar um mapa digital a partir do qual são calculados os valores das áreas para diagnóstico ambiental.

“Trata-se de ferramenta importante para auxiliar no planejamento do imóvel rural e na recuperação de áreas degradadas, o CAR fomenta a formação de corredores ecológicos e a conservação dos demais recursos naturais, contribuindo para a melhoria da qualidade ambiental. A política de apoio à regularização ambiental é executada de acordo com a Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012, que criou o CAR em âmbito nacional, e de sua regulamentação por meio do Decreto nº 7.830, de 17 de outubro de 2012, que criou o Sistema de Cadastro Ambiental Rural – SICAR, que integrará o CAR de todas as Unidades da Federação”, salientou a diretora executiva da Rural & e Cia de Itamaraju, Ana Lucia Amorim que é administradora de empresas e especialista em Licenciamento Ambiental, em Gestão Estratégica de Custos e em Tributação no Agronegócio e, também com MBA em Gestão Ambiental, em Agronegócios, em Marketing e em Gestão de Projetos. (Por Athylla Borborema)

  Categorias: