Delegadas falam de prisão de feminicida e comentam dinâmica do crime

30 outubro 20:28 2017 Imprimir esta notícia

Na manhã desta segunda-feira, dia 30 de outubro, as delegadas Valéria Fonseca Chaves e Viviane Scofield, coordenadora da 8ª Coorpin e titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM), respectivamente, apresentaram à imprensa o homicida confesso Israel Amorim de Castro, que matou a própria companheira, Tayara Santos Monteiro, de 18 anos, com um tiro de revólver calibre 38 na cabeça, crime ocorrido na manhã de 13 de agosto de 2017, dentro da residência do casal, no Bairro Nova Teixeira, após uma discussão na volta de um baile funk.

Segundo a delegada Viviane Scofield, desde à época do  crime, de maneira silenciosa, até para não chamar a atenção do acusado, os agentes da DEAM, juntamente com o Serviço de Investigação (SI), da 8ª Coorpin, realizaram uma séria de ações para localizar Israel, que fugiu da região logo após o crime. Perguntada sobre a pena que pode ser imposta ao assassino, caso ele seja condenado, Scofield assegurou que pode ultrapassar os 30 anos.

De acordo com a delegada Valéria Chaves, o assassinato da jovem, além de caracterizar como feminicídio, ainda possui uma série de qualificados que devem impostas ao autor, como matar a própria companheira “ela estando caída, após ser agredida por ele”, impossibilitando qualquer reação de defesa da vítima. Ainda segundo a coordenadora da 8ª Coorpin, Israel Amorim de Castro também está sendo investigado pela participação em outros assassinatos ocorridos ultimamente em Teixeira de Freitas. (Por Ronildo Brito)

  Categorias: