Doença do prefeito de Itajuípe é grave e ele precisa se afastar

Doença do prefeito de Itajuípe é grave e ele precisa se afastar
22 abril 12:57 2018 Imprimir esta notícia

O prefeito de Itajuípe, Marcone Amaral, que recebeu alta na quinta-feira (19), deve se afastar do cargo para continuar o tratamento em casa. Ele ficou alguns dias internado no Hospital Calixto Midlej Filho, em Itabuna, com um quadro de embolia pulmonar.

Através das redes sociais, ele disse que vai “enfrentar o desafio com a mesma alegria e disposição de sempre”, agradeceu aos funcionários e médicos da Santa Casa pelo cuidado. Marcone é ex-atleta, o que pode ajudar na recuperação completa.

A Embolia pulmonar, também conhecida por “infarto pulmonar” e “tromboembolismo pulmonar” (TEP) apresenta um quadro grave, que tem início quando um trombo (coágulo ou êmbolos) em veia da perna ou da pelve se solta, bloqueando artérias do pulmão.

Esses bloqueios podem acontecer por pedaços de gordura, fragmentos de ossos ou bolhas de ar. Geralmente, os coágulos tem origem dos membros inferiores (90% dos casos) e a embolia pulmonar é reconhecida como uma complicação da trombose.

Como se instala

De onde surge, o coágulo viaja pelo organismo, alojando-se em uma das artérias do pulmão e obstruindo o fluxo de sangue. Conforme o tamanho do trombo, a embolia pulmonar pode levar o paciente à morte súbita, pois interrompe a circulação pulmonar.

A maior ocorrência da embolia pulmonar no Brasil se dá volta dos 30 anos. Já nos Estados Unidos e na Europa ela costuma ocorrer a partir dos 40 anos, tendo um pico de incidência por volta dos 60 até 70 anos de idade.

A incidência anual da doença é de 0,7 a 1,0 paciente a cada mil habitantes, com taxa de letalidade de 12% a 17%. A embolia pulmonar é alarmante, uma vez que cerca de metade das mortes causadas por ela não são suspeitadas e cerca de 1/3 dos diagnósticos é feito de maneira errada. (Informações: A Região)

  Categorias: