ES: Um dia após tragédia, Eco101 faz nova proposta de contrato à ANTT

ES: Um dia após tragédia, Eco101 faz nova proposta de contrato à ANTT
12 setembro 12:17 2017 Imprimir esta notícia

Depois de uma longa queda de braço e um dia após mais uma tragédia que matou 11 pessoas na BR 101, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) recebeu, na manhã de desta segunda-feira, uma nova contraproposta da Eco101 para evitar a devolução da concessão da rodovia federal, mas nenhuma decisão foi tomada – e nem o teor dos dados foi divulgado pelas partes. Também não há prazo decidido para análise técnica, até porque o próprio diretor-geral do órgão em Brasília, Jorge Bastos, está em viagem à China.

De três alternativas oferecidas pela agência reguladora para repactuar o contrato, segundo o deputado Marcus Vicente (PP), apenas uma prevê a duplicação completa da rodovia de Norte ao Sul do Espírito Santo – o que a Ec0101 vem se recusando a fazer. Entre as sugestões possíveis, além da duplicação integral originalmente exigida no contrato, está a duplicação parcial com construção de terceiras faixas.

Ainda conforme Vicente, uma terceira saída seria a duplicação parcial com inclusão de terceiras faixas, mas prevendo a exclusão de várias obras e a inclusão dos seguintes investimentos: 11 passarelas, contorno de Vitória, 11 passarelas, contornos de Rio Novo do Sul, Fundão, Ibiraçu, Linhares, São Mateus, contorno do Mestre Álvaro e da Reserva de Sooretama.

Procurada pela reportagem, no entanto, a ANTT somente confirma o recebimento da proposta hoje e diz que “vai analisá-la o mais rápido possível”. No momento, entrevistas não são dadas, tampouco é revelado o teor da resposta da Eco101. “Não temos como antecipar nada. Este documento ainda vai ser analisado e ele não é público”, responde o órgão.

Numa primeira rodada de negociações, a ANTT havia recusado as propostas de puxadinho da concessionária, que agora reapresentou estudos de viabilidade, mas vinha se mantendo inflexível na posição de não fazer obras na formatação atual do contrato. Coordenador da bancada capixaba em Brasília, Marcus Vicente prevê uma resposta definitiva do governo federal em 72 horas. (Informações: A Gazeta)

 

  Categorias: