Isac Bocoro: Empresário de Itamaraju entre os com mandados de condução coercitiva

Isac Bocoro: Empresário de Itamaraju entre os com mandados de condução coercitiva
09 novembro 13:05 2017 Imprimir esta notícia

Na manhã desta quinta-feira, dia 9 de novembro, a imprensa de Salvador, incluindo o site Bocão News, teve acesso à relação de empresas envolvidas no esquema de fraudes em Eunápolis, Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália, bem como a lista das pessoas com mandados de condução coercitiva, quando a pessoa é levada para prestar depoimento.

Entre as pessoas envolvidas no esquema que culminou com o afastamento dos prefeitos Robério Oliveira, Cláudia Oliveira e Agnelo Silva Santos, respectivamente, aparecem donos de empresas e pessoas físicas ligadas aos três gestores.

Foram conduzidos coercitivamente: Ana Maria Miranda Longo, de Santa Cruz Cabrália; Angelo Suzart Gomes, de Eunápolis; Carlos Roberto Andrade Borges, de Lauro de Freitas; Danilo Lima Santos Guerreiro, residente em Itapuã, Salvador; Isac Santos Joaquim Boaventura, de Itamaraju; Isnar Augusto de Jesus Santos, em Eunápolis; Jonata Lima Santos Guerreiro, em Itapuã, em Salvador; Jorge Lima Batista, em Porto Seguro; Josineto Leite de Jesus, em Salvador, no Cabula; Luiz Felipe de Sales, em Porto Seguro; Maria Luiza Tosta, em Salvador; Odilardo Pimentel de Figueiredo Filho, no Alphavile I, em Salvador; Thiago Luiz Mendes Duarte, em Porto Seguro; Edna de Souza Alves, também em Porto Seguro.

Isac Santos Joaquim Boaventura, é mais conhecido como “Isac Bocoro”, dono de uma empresa de pavimentação e que já vinha sendo acusado de executar obras de qualidade duvidosa em Itamaraju. As primeiras informações dão conta que a Polícia Federal (PF), esteve no endereço de “Isac Bocoro”, na cidade de Itamaraju, mas ele não teria sido encontrado. Alguns dos acusados ainda estariam com paradeiro incerto.

O documento obtido pelo Boção News também traz a lista dos suspeitos que tiveram contra si mandados de busca e apreensão: Agnelo Silva Santos Júnior, prefeito de Santa Cruz Cabrália, com endereço residencial em Porto Seguro; Cláudia Oliveira, prefeita de Porto Seguro; James Almeida Mascarenhas, residente em Itaberaba; Robério Oliveira, prefeito de Eunápolis; Marcos da Silva Guerreiro, Margarete Marinho Santos, Ricardo Luiz Rodrigues Bassalo, Azeuane Belanisia de Jesus Pires, Deneson Marcio Rodrigues Bassalo, Douglas Guerreiro Santos, João Lázaro de Assis Sousa, Maria José de Jesus Santos, Tainan Belanisia de Jesus Santos, Naia Belanisia de Jesus Santos, Rafaela Santos Reis e Vagner da Conceição do Espírito Santo, todos em Salvador; Sílvio Naziozeno dos Santo e Antônio Fernando Pastore em Porto Seguro; Caique Max da Costa Santos, atualmente em Portugal; Herbert Jofre Santos Pinto, morador de Eunápolis; José Roberto Andrade de Oliveira, de Porto Seguro; Márcio Almeida Passos, residente em Nova Lima, estado de Minas Gerais; e Marcio Puig, morador de Porto Seguro.

Empresas

A investigação aponta que as empresas envolvidas no esquema eram: Basmar Construtora e Incorporadora, TWA Construções e Empreendimentos (atual Constante Construções e Serviços), Refratec Reformas e Manutenção Técnica, Litoral Sul Serviços Técnicos Especializados, OMG Construtora, LTX Empreendimentos Construções, Citrino Logística Serviços e Montagens, Star Multi Serviços e Produções, Stell Empreendimentos e Serviços, Top Dez Promoção de Eventos, Betopão Comercial, Integra GRP Soluções de Software, Katharina Transportes, Mais Construtora, OPF Construções, TL Mendes Duarte Turismo, Litoral Bahia Empreendimentos, Axé Eventos. (Da redação TN)

  Categorias: