Itamaraju: Revolta e ocupação da prefeitura após suspeita de fraude no Minha Casa, Minha Vida

19 dezembro 20:22 2017 Imprimir esta notícia

Era pra um momento de festa, mas a desorganização e número de beneficiados por menor, gerou um tumulto nesta segunda-feira, dia 18, durante o anúncio dos beneficiados de 1.004 casas do Programa Minha Casa, Minha Vida, conjunto habitacional construído pelo ex-prefeito de Itamaraju, Manoel Pedro Soares (PSD) e deixado apenas para ter o acabamento finalizado e entregue aos beneficiários devidamente cadastrados.

Esse sorteio era pra ser feito como estratégia de atrair público para a visita do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), ao município. Neto é pré-candidato ao governo do estado e o seu aliado em Itamaraju, Marcelo Angência, que está em baixa política, queria de todas as formas demonstrar força.

As fortes chuvas impediram a vinda do pré-candidato e como as casas já estavam prontas e havia uma pressão popular dos beneficiários, Angênica convocou o sorteio para essa segunda-feira (18).

Segundo os inscritos, além dos 22 nomes repetidos ainda faltou sortear 148 imóveis, descartando cerca de 160 inscritos no programa do Governo Federal. Pessoas que se inscreveram na esperança de serem beneficiadas, denunciam que quando o sorteio chegou ao número 856 o sistema deu a escolha dos mutuários das casas localizadas no bairro Bela Vista como finalizada.

Na estratégia montada para a escolha das unidades habitacionais, foram abertos dois campos para informar os nomes ao vivo em um telão instalado no local. O primeiro campo foi formado por idosos e o segundo por pessoas especiais. Cada campo importou 80 nomes totalizando 160 inscritos, mas no sistema não aparecia os nomes, mas somente a quantidade importada, o que para os presentes, acabou por comprometer a idoneidade do sorteio.

O descontentamento foi tão grande que houve princípio de tumulto após o sorteio. O grupo da administração pública acabou deixando o local rapidamente. Mesmo assim, após o evento, um grupo de pessoas foi para a frente da casa do prefeito Marcelo Angênica (PSDB) para cobrar o sorteio das unidades habitacionais que eles afirmam terem ficado de fora do sorteio.

O protesto foi gravado por um vizinho de Angênica e mostra pessoas irritadas chutando o portão da residência do gestor municipal.  O mesmo grupo, na manhã desta terça-feira (19), ocupou a sede da Prefeitura Municipal, onde ficam algumas secretarias e o gabinete de Marcelo Angênica. (Da redação TN)

  Categorias: