Líder do MTST quer concorrer à presidência pelo PSOL

20 outubro 10:50 2017 Imprimir esta notícia

A pouco menos de um ano para a corrida eleitoral, os partidos políticos procuram por nomes para disputar o próximo pleito, especialmente para os cargos majoritários, como o da presidência da República. Assim como nas vezes anteriores, o PSOL também terá candidato ao Planalto. O nome mais cotado no momento, após declínio de Chico Alencar à vaga, é o de Guilherme Boulos, ativista social líder do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST).

Apesar de os debates ainda estarem no começo para fechar o nome do PSOL à presidência, Guilherme Boulos é visto como um virtuoso e potencial candidato. Esta é avaliação do líder da sigla na Câmara, deputado Glauber Braga, PSOL-RJ.

“Boulos é a liderança popular fundamental no momento político e histórico que estamos vivenciando. É uma liderança de resistência, forjada na luta, que eu considero que tenha todas as características para bem representar o programa do PSOL. Claro que tudo nesse momento está na fase de discussão, de diálogo, de aprofundamentos”.

Braga reforça ainda que o líder do MTST seria um importante contraponto à atual maneira de gerir o país, especialmente sob o ponto de vista econômico e social, por conhecer profundamente a realidade brasileira.

“Ele tem a consciência do papel histórico do que é o exercício de uma resistência que tenha amplitude necessária, mas que ao mesmo tempo tenha contundência para não dar como fato consumado este projeto que está sendo implementado por Michel Temer”, disse.

O líder do PSOL explicou ainda que a definição do candidato do partido deverá ser tomada somente em 2018, ficando este ano reservado para as disputas internas no parlamento.

“Existem pré-candidatos que já se colocaram, que querem ver o seu nome discutido. O PSOL é um partido plural, mas por enquanto essa discussão ainda está incipiente, ela não está com aprofundamento necessário para uma definição”, ressaltou. (A Tarde)

  Categorias: