Marcos Belitardo defende o papel do psicólogo no tratamento do câncer em Teixeira de Freitas

Marcos Belitardo defende o papel do psicólogo no tratamento do câncer em Teixeira de Freitas
14 setembro 04:05 2017 Imprimir esta notícia

Na sessão da Câmara Municipal de Teixeira de Freitas sob a presidência do vereador Agnaldo Teixeira Barbosa, o “Agnaldo da Saúde” (PR), o vereador Marcos Gusmão Pontes Belitardo (PHS) foi autor de uma proposição legislativa em que requereu do Poder Executivo Municipal que seja incluído no tratamento oncológico, o acompanhamento psicológico e distribuição de lanches para os pacientes da UNACON – Unidade de Alta Complexidade em Oncologia. O psicólogo que trabalha com a psico-oncologia geralmente está associado à psicologia clínica e atua com uma equipe multidisciplinar, para que o tratamento do paciente seja integral.

Para o vereador Belitardo, o papel do psicólogo no tratamento do câncer é essencial. Ele enfatiza que a força e estrutura necessárias para enfrentar um quadro de câncer podem vir de forma mais tranquila, ao contar com ajuda de um psicólogo. A reação inicial de um paciente (também de seus familiares e amigos próximos) diante de um diagnóstico de câncer é, na ampla maioria dos casos, a de choque. Isso porque, além de estar obrigado a enfrentar uma doença cada vez mais frequente, e com desfechos que nem sempre são de superação, o paciente ainda precisa passar por todo o processo de tratamento médico, que pode incluir cirurgias, radioterapia, quimioterapia, entre outras rotinas pesadas.

O parlamentar diz que chega a ser uma obviedade afirmar que isso demanda força e estrutura, muitas vezes difíceis de manter nessas condições. É nesse ponto que atuam os psicólogos especializados em psico-oncologia, profissionais preparados para dar suporte aos pacientes com câncer e seus familiares. O vereador Marcos Belitardo ressalta que o objetivo dessa prática é ajudar a enfrentar as dificuldades e conseguir a adaptação imprescindível para passar por esse processo da forma mais equilibrada e saudável possível. Ou seja, uma ajuda fundamental para superar todas as etapas da doença: diagnóstico inicial, más notícias, mudanças no tratamento, expectativas, resultados, processos terminais e outros diagnósticos.

“Não é segredo para ninguém que os fatores psicológicos (cognitivos, emocionais e motivacionais) influem na saúde física das pessoas e têm o seu impacto – direto ou indireto – nos transtornos e doenças. A doença física, por sua vez, também repercute no estado psicológico da pessoa. Por isso é verdadeiramente importante cuidar do aspecto psicológico do paciente, principalmente em casos de doenças complexas como o câncer. Foi pensando neste beneficio em prol do paciente e dos seus familiares que estamos propondo ao município que nos atenda com esta proposição tão pertinente”, enfatizou o vereador Marcos Belitardo. (Por Athylla Borborema).

  Categorias: