Mecânico diz na polícia que foi atacado por um grupo de dez ciganos em Itamaraju

05 janeiro 12:28 2017 Imprimir esta notícia

Na noite desta quarta-feira, dia 4 de janeiro, o Teixeira News conseguiu ter acesso à ocorrência policial formalizada por Adriano Luz Brás, de 39 anos, natural de Almenara-MG., e morador há vários anos em Itamaraju. “Adriano Feinho”, como é mais conhecido, já trabalhou como mecânico de motos e atualmente reside numa propriedade rural do seu pai, na altura do km-780 da rodovia BR-101, no município de Itabela, onde ajuda nas atividades da fazenda.

No fim da tarde desta última terça-feira, dia 3 de janeiro, o Teixeira News recebeu através do WhatsApp (73 9 9917-7501), o vídeo de uma agressão em massa sofrida por Adriano. A filmagem vem repercutindo fortemente nas redes sociais e mostra o rapaz sendo atacado por um grupo grande de jovens, que em sua maioria seria composto de ciganos moradores de Itamaraju. No fim da gravação é possível perceber eles fugindo, inclusive algumas mulheres de vestidos longos e feitos de tecidos típicos dos usados pela comunidade cigana. A agressão aconteceu no Posto Bentivi, onde o veículo da vítima, uma caminhonete Fiat Strada, de cor branca, foi cercado pelos agressores.

Segundo a denúncia, os agressores estariam bebendo em um bar conhecido como Belisca Bolo, às margens da rodovia BR-101 e quando retornavam para Itamaraju em comboio, o rapaz agredido, que estaria retornando do trabalho, teria feito uma ultrapassagem, revoltando os ciganos. Essa ultrapassagem teria sido a motivação do ataque em massa. Ferido, o jovem foi socorrido ao Hospital Municipal de Itamaraju (HMI).

No boletim de ocorrência datado de 26 de dezembro de 2016, às 17h20, Adriano relata que ao retornar da fazenda do pai, deparou-se com o condutor de uma outra caminhonete Fiat Strada, que fazia zig zag da pista e quando fez a ultrapassagem, começou a ser seguido por outros veículos. Ao parar no Posto Bentivi, conta o rapaz, ele foi cercado por cerca de dez ciganos, que visivelmente transtornados, começaram a lhe agredir a socos e pontapés. Até as mulheres teriam participado da ação.

Ainda segundo Adriano, por pouco ele não foi morto, já que além da surra que levara, um dos agressores estava em posse de um facão. Na filmagem é possível perceber o valentão danificando o capô da estrada com a lâmina. Um funcionário do pai da vítima, que estava viajando como carona do veículo, teve que fugir pra também não ser agredido.

De acordo com Adriano Luz Brás, de 39 anos, após deixá-lo caído e inconsciente os ciganos fugiram rumo ao centro de Itamaraju. “Quando recuperei o sentido usei o telefone celular para acionar a Polícia Militar”, disse.

Após receber atendimento médico a vítima procurou a Delegacia da Polícia Civil de Itamaraju (DEPOL), onde formalizou a ocorrência. Até a manhã desta quinta-feira, dia 5 de janeiro, dez dias após o ataque, a Polícia Civil de Itamaraju ainda não informou se identificou e ouviu algum dos valentões. (Da redação TN)

  Categorias: