Medo faz com que busca por vacina contra febre amarela lote postos de saúde em Mucuri

Medo faz com que busca por vacina contra febre amarela lote postos de saúde em Mucuri
28 janeiro 10:20 2017 Imprimir esta notícia

Apesar de Mucuri e demais municípios do extremo sul da Bahia não terem nenhum registro de febre amarela, a preocupação dos moradores é grande devido ao volume de visitantes que procuram as praias do sul da Bahia e a proximidade das regiões que mais têm registrado casos da doença: leste de MG e noroeste do ES.

Em Minas, os casos confirmados de febre amarela subiram para 97, de acordo com o boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) nesta sexta-feira (27). O número de mortes confirmadas se manteve estável em relação ao último boletim: 40. Outros 58 óbitos são investigados. De acordo com a secretaria, até esta sexta, foram notificados 486 casos suspeitos. Deste total, 19 foram descartados. Outros 370 ainda estão sob investigação.

No noroeste do Espírito Santo, em Colatina, de acordo com a assessoria da Prefeitura, até o momento, foram notificados 11 casos suspeitos de febre amarela, sendo dez moradores de Colatina e um de São Roque do Canaã. Colatina já apresentou três casos de óbitos nesta semana com suspeita de febre amarela. A terceira morte foi registrada nesta sexta-feira (27). A vítima seria um morador do Distrito de São João Pequeno, interior de Colatina. Os resultados que vão confirmar ou descartar a doença como causa das mortes devem sair entre 15 e 20 dias.

Em Mucuri, apesar da inexistência de casos suspeitos, com medo, as pessoas estão lotando as unidades de saúde, em busca da vacina, que  é a única forma de se imunizar. Os estoques da vacina contra a febre amarela foram reforçados mas a quantidade ainda é limitada e senhas são distribuídas por ordem de chegada. Como a quantidade é limitada, as pessoas chegam durante a madrugada e passam às vezes o dia inteiro aguardando para sair vacinada.

nobred nobred1Nesta sexta (27), por exemplo, no PSF do bairro Bahia do Sol, na sede de Mucuri, quem chegou às 04h30m da manhã já recebia a senha de número 50. Por volta das 06h30m as senhas distribuídas já estavam no número 140 e às 07h, quando o PSF começa a funcionar já era distribuída a senha de número 170. A má notícia aos que continuavam chegando era que a quantidades de doses disponíveis era de apenas 150.

Para atender a demanda, os funcionários dos PSF’s também tem sacrificado, em alguns momentos, até mesmo o horário do almoço.

Prefeitos e secretários de saúde de diversos municípios baianos, localizados nas regiões oeste, sudoeste e extremo sul, se reuniram na terça-feira (24), no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador,  com o secretário estadual da saúde, Fabio Vilas-Boas, para discutir estratégias de prevenção e controle da febre amarela. No encontro ficou definida a ampliação da vacinação, mas até o momento não houve informação de como será realizada a ampliação, se através de um mutirão ou vai continuar sendo vacinada uma pequena quantidade de pessoas diariamente, quando tiver disponibilidade de vacina. (Informações de Samuca Macedo/falameunobre.com)

  Categorias: