Morre aos 94 anos a Dona Onília, a matriarca da família Pereira em Jucuruçu

Morre aos 94 anos a Dona Onília, a matriarca da família Pereira em Jucuruçu
Na foto com a sua neta e prefeita de Jucuruçu Uberlândia Pereira
10 julho 11:09 2017 Imprimir esta notícia

Faleceu no início da tarde deste domingo (09/07), uma das mulheres mais importantes do município de Jucuruçu, responsável pela instituição de uma das maiores famílias da região. A dona Onília Maria de Jesus Pereira faleceu aos 94 anos de idade, após ter se queixado de dores no peito em sua casa, no distrito de Monte Azul, onde residia há 64 anos.

Recentemente ela havia sofrido um derrame, mas se recuperava bem. E após a queixa da anciã, a família logo lhe prestou socorro e ainda deu tempo dela ser atendida no Hospital Municipal da cidade de Jucuruçu, há 32 quilômetros de casa, onde foi assistida por um médico e, tomava soro após ter sido medicada, quando ela sofreu uma parada respiratória irreversível e faleceu.

A dona Onília Maria de Jesus Pereira nasceu no dia 10 de setembro de 1922, em Tremendal, então distrito do município de Condeúba, hoje cidade de Tremendal, na região sertaneja do sudoeste da Bahia. Dona Onília Pereira chegou à região de Jucuruçu, aos 31 anos de idade, montada numa cangalha de corda sobre o lombo de um burro, no ano de 1953, ao lado do esposo Jesuíno José Pereira, trazendo seus primeiros 4 filhos, sendo que os outros 9 filhos nasceriam em Monte Azul.

Primeiro, dona Onília Pereira e o esposo Jesuíno com os primeiros quatro filhos e seus 8 animais cargueiros fixaram moradia em Santo Antônio do Jacinto, no município vizinho das Minas Gerais e, 10 meses depois se mudaram para Monte Azul, quando o distrito ainda pertencia ao município de Prado, a partir de 1961, o lugar passou a pertencer o território de Itamaraju e em 1989, passou a ser distrito de Jucuruçu.

vod1

Na foto com seu filho caçula Fidolino Pereira

Ao lado do esposo, a dona Onília Pereira começou a vida ajudando o companheiro na condução de frutas e cereais da fazenda Amaralina, no córrego do Gado Bravo, primeira propriedade rural adquirida pelo casal na região, até a cidade de Almenara em Minas Gerais. Dona Onília chegou em terras jucuruçuenses trazendo apenas 4 filhos: Teodolino José Pereira “Dola”, Marcolina, Izai e Maria.

E já no distrito de Monte Azul, nasceram os outros 9 filhos: Iraci, Jasmira, Elza, Alzira, Liordina, Maria Conceição, Valdeci, Isnaldo, Fidolino e Beatriz. Dona Onília Pereira deixa mais de 100 netos e igual proporção de bisnetos. A dona Onília Pereira parte para o plano superior após ter cumprido sua missão na terra e constituído uma das famílias mais honradas e bem sucedidas da região.

O seu filho mais velho, Teodolino José Pereira, o “Dola”, aos 71 anos, foi o principal precursor na fundação do município de Jucuruçu, onde foi o vereador mais votado e o primeiro presidente da Câmara Municipal. Foi o segundo prefeito do município, vice-prefeito no quarto período político do município e o 5º prefeito de Jucuruçu. E a 6ª filha dos 10 filhos de “Dola” e a 26ª neta da dona Onília Pereira, a bacharela em direito Uberlândia Pereira, foi vereadora e presidente da Câmara no quarto período legislativo do município e atualmente é a prefeita de Jucuruçu pelo segundo mandato.

A neta e prefeita de Jucuruçu, Uberlândia Carmos Pereira lamentou a morte da avó e disse que ela foi o maior dos exemplos para toda família e vai continuar na imortalidade representando a mais bela das flores do jardim dos Pereira. “Hoje é um dia muito triste, estamos todos arrasados com a partida da vovó Onília para o universo celestial. O que nos conforta é saber que todos nós desfrutamos muito do seu afago e lhe demos muito amor em vida e a sua velhice foi sempre cercada de muito carinho”, lamentou a prefeita Uberlândia Pereira, que decretou luto oficial no município por três dias. (Por Athylla Borborema)

  Categorias: