MPF determina que prefeito de Itamaraju informe valores arrecadados com taxa de iluminação pública

MPF determina que prefeito de Itamaraju informe valores arrecadados com taxa de iluminação pública
18 janeiro 12:26 2018 Imprimir esta notícia

Ministério Público Federal (MPF) determinou que prefeitura de Itamaraju informe no prazo de 15 dias os valores arrecadados com a iluminação pública sob pena de execução do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC).

A denúncia foi feita pelo grupo Fiscaliza Itamaraju, depois de perceber os moradores do bairro Marotinho tomarem a iniciativa de comprar lâmpadas para garantir a iluminação das ruas Oiapoque e Ribeirão do Ouro.

A iniciativa foi do gerente de vendas Jailson Souza e de um grupo de moradores, que compartilhavam do sofrimento e temor em transitar por ruas escuras naquela localidade.  Ele ameaçou cobrar na Justiça o ressarcimento dos valores gastos, além das taxas pagas, sem o serviço atendido.

Segundo integrantes do Fiscaliza, o gestor e sua equipe precisam entender que a prefeitura não é uma clínica particular. ”Por se tratar de dinheiro público é preciso prestar contas à população”, explica. O grupo acredita que prevalece a incoerência por parte do prefeito Marcelo Angênica (PSDB), que mesmo com a cidade na escuridão ainda aumentou a taxa de iluminação pública em quase 100% no ano passado.

Outra vitória do grupo Fiscaliza fez com que a prefeitura também seja obrigada a colocar novamente no Portal da Transparência todos os dados das frotas de veículos locados e dos funcionários comissionados que foram retirados do site após denúncias de irregularidades e favorecimento. (Da redação TN)

  Categorias: