Mucuri: Servidores anunciam greve geral de dois dias

Mucuri: Servidores anunciam greve geral de dois dias
23 junho 12:32 2018 Imprimir esta notícia

Nesta sexta-feira (22), o Sindiservim, sindicato que representa os servidores públicos do município de Mucuri, após uma assembleia geral, anunciou uma greve em todos os departamentos da Prefeitura Municipal nos próximos dias 25 e 26 desse mês de junho.

Recentemente o prefeito de Mucuri, Carlos Simões (PDT), enfrentou um confronto direto com os vereadores e os servidores, após anunciar duas Ações de Inconstitucionalidade contra as Leis Complementares Municipais 028 e 030, que estabelecem direitos aos servidores públicos municipais.

As duas Ações, tendo o prefeito Carlos Simões como autor, afirmava que os processos legislativos que culminaram na aprovação das duas Leis não teriam obedecido os ritos necessários e, portanto, seriam inconstitucionais. Após a repercussão negativa da medida e um ato assinado por todos os vereadores, o chefe do Executivo voltou atrás e anunciou a desistência da medida, que teria sido aconselhada por um escritório de advocacia contratado pela Prefeitura.

O prefeito Carlos Simões (PDT) esteve presente na sessão da Câmara de Vereadores e declarou ter atendido a recomendação do Legislativo, destacando  não haver interesse em suprimir ou cortar os direitos adquiridos dos funcionários. Mas disse que havia uma necessidade urgente em adequar a folha de pagamento à Lei de Responsabilidade Fiscal, que estabelece um percentual de 50% de gastos com pagamento de pessoal. O índice de pagamento em Mucuri, segundo Simões, teria ultrapassado os 60%.

Mas outra polêmica foi aberta quando o gestor municipal falou que estava revendo todos os contratos administrativos de contratação de pessoal, bem como nomeações para cargos em comissão.

Foi diante dessa possibilidade de haver corte de pessoal contratado temporariamente que o SindiServim convocou a assembleia e por maioria os servidores municipal optaram em paralisar as atividades por dois dias. O sindicato não informou se existe a possibilidade de alguma outra paralisação. (Da redação TN)

  Categorias: