Município de Nova Viçosa emite decreto de emergência e reduz investimentos no Carnaval

Município de Nova Viçosa emite decreto de emergência e reduz investimentos no Carnaval
09 fevereiro 12:37 2018 Imprimir esta notícia

O prefeito Manoel Costa Almeida (DEM), reuniu a sua equipe de secretários e anunciou o decreto de Situação de Emergência em decorrência das chuvas que atingiram o município de Nova Viçosa entre os dias 02 e 04 de fevereiro. O decreto foi assinado no início da tarde desta quinta-feira (09) no gabinete do prefeito e tem efeito apenas sobre as áreas atingidas onde a defesa Civil em visita técnica listou como críticas, sendo o distrito de Posto da Mata e algumas localidades da zona rural do município. O prefeito também solicitou o reconhecimento de Situação de Emergência ao Governo Federal.

O prefeito Manoelzinho destaca a necessidade do decreto, mas que só houve a viabilidade depois dos pareceres da Defesa Civil que esteve no município para acompanhar a situação. Lembra ainda que mesmo com as condições adversas vividas pela população de Nova Viçosa sede, as observações não foram de estado característico para se observar o estado de emergência. “Não poderíamos emitir um decreto sem antes saber em qual tipo de desastre classificar. Por isso o parecer técnico da Defesa Civil, que classificou e codificou o desastre ocorrido como enxurradas”, disse.

Com essa situação adversa uma outra preocupação foi a realização ou não dos eventos carnavalescos, uma vez que o município precisaria direcionar o foco das atenções a atender os atingidos pelas chuvas, o que fatalmente dificultaria qualquer aporte financeiro para a realização do evento, situação essa que foi resolvida com a renegociação dos valores originais do custo do carnaval e com uma proposta de parcelamento do valor global dos festejos. “Conseguimos junto às empresas que realizarão o nosso carnaval, entre produção, estrutura e bandas, uma redução de 40% nos valores e ainda um parcelamento, o que fará do nosso carnaval o mais barato da região, e no custo benefício, o melhor do interior do estado da Bahia” comemora Manoelzinho.

O presidente da Câmara de Vereadores, José Anastácio, entende que nos novos moldes da operação do carnaval se torna viável para o município, uma vez que os custos estimados para a realização do evento ultrapassariam os R$ 800 mil, e que com o novo formato e parcerias vai se gastar pouco mais da metade desse valor. “É provável que seja uma situação inédita, uma cidade do interior ter êxito na renegociação dos valores de um evento desse porte, e esse é um resultado parcial, já que o prefeito segue negociando com outras empresas e parceiros”, comentou  Anastácio. (Da redação TN)

  Categorias: