Nova Viçosa lança campanha “Mais Saúde e Zika Zero” em combate ao Aedes Aegypti e Zika Vírus

Nova Viçosa lança campanha “Mais Saúde e Zika Zero” em combate ao Aedes Aegypti e Zika Vírus
08 julho 09:34 2016 Imprimir esta notícia

A Prefeitura Municipal de Nova Viçosa se engaja na campanha de combate ao Aedes Aegypti e Zika Vírus para que o esforço na conscientização junto a população para que o risco seja zero de infecção pelo zika. O município lançou nesta última quarta-feira (06/07/2016), a campanha publicitária em todos os meios de comunicação da região denominada de “Mais Saúde e Zika Zero” no combate ao mosquito Aedes Aegypti no contexto do município de Nova Viçosa.

O município quer intensificar as ações de controle e combate ao Aedes Aegypti nos próximos três meses, aliada às condições climáticas dos meses de julho, agosto e setembro, que resultam num risco muito maior de propagação do vírus Zika. Esse comportamento se explica devido à sazonalidade da doença, cuja maioria dos registros ocorrem na Bahia entre junho e setembro, época de chuvas e temperaturas frias mais elevadas, ideais para a proliferação das larvas do mosquito.

Atualmente, o Zika está presente em 60 países e em 24 unidades das 27 federações brasileiras. A Campanha em Nova Viçosa, além do serviço de conscientização por meio dos veículos de comunicação, esclarece todas as dúvidas em relação à prevenção do Zika, dengue e chikungunya com as equipes de agentes que trazem informações importantes sobre vacinação, serviços de saúde e uso de medicamentos. Monitora situações de risco, a demanda por atendimento, a vigilância epidemiológica e sanitária, além de coordenar respostas diante de emergências em saúde pública.

Em Nova Viçosa os casos de dengue, em 2016, apresentaram até 30 de junho, queda antecipada em relação aos anos anteriores. Embora, a redução no número de casos era observada a partir do mês de junho. Levantamento do Ministério da Saúde aponta que, desde o mês de março, o país apresenta tendência de redução, um comportamento diferente do habitual. Os números dos casos de dengue em Nova Viçosa já apresentaram redução de 99,2% no comparativo entre fevereiro e junho deste ano.

Agora a Prefeitura de Nova Viçosa inicia uma grande mobilização para envolver toda a sociedade no combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor de doenças como dengue, febre chikungunya e zika vírus. A campanha “Mais Saúde e Zika Zero” além de envolver a Secretária Municipal de Saúde, objetiva envolver mais ainda a população, com o objetivo de eliminar os focos do mosquito.

O município de Nova Viçosa quer reforçar as ações de combate ao mosquito na cidade, nos distritos e na zona rural. E se engaja nessa missão para reduzir cada vez mais a incidência dessas doenças no município e na região. A campanha convoca a participação da população para se conseguir eliminar os focos do mosquito e, assim, garantir uma melhor qualidade de vida a toda a população.

A campanha, além da publicitária, inclui vasta programação com orientação, visitas domiciliares, blitzes educativas em escolas e empresas e abordagem de comerciantes e público, com distribuição de panfletos. Além disto, será intensificado o trabalho no campo, através dos agentes de saúde, agentes de combate às endemias, agentes comunitários e outros técnicos das secretarias de Saúde e Serviços e Obras Públicas.

As equipes realizarão durante mês de julho a inspeção nas residências e estabelecimentos comerciais, a fim de identificar e tratar os focos do mosquito, além de recolher sucatas e todo tipo de bagulho volumoso que possa servir de criadouro do Aedes Aegypti. As atividades vão ter o reforço de todas as unidades de básicas de saúde, que também vão alertar a população para o combate à dengue, à febre chikungunya e ao zika vírus.

A Secretaria Municipal de Saúde (Semus), alerta que o controle destas doenças deve ser preocupação de todos, e ressalta que só é possível evitar uma epidemia com o combate aos locais que podem armazenar água e que são abrigo para as larvas do mosquito. Para a Prefeitura Municipal de Nova Viçosa, o município está fazendo a sua parte, mas a população deve reforçar as ações no seu dia a dia. Hoje, a preocupação é maior porque o mosquito também é transmissor da febre chikungunya e zika vírus, que são doenças de maior duração e que podem apresentar sérias complicações, deixando graves sequelas. (Da Redação TN).

  Categorias: