‘Ouvi meu esposo gritando mas não consegui salvar’, diz sobrevivente de tragédia na BR-101, no ES

‘Ouvi meu esposo gritando mas não consegui salvar’, diz sobrevivente de tragédia na BR-101, no ES
27 junho 11:48 2017 Imprimir esta notícia

Sobrevivente da tragédia que matou 22 pessoas na BR-101, em Guarapari, Fabiana Souza, de 31 anos, se emocionou ao lembrar do acidente. O marido dela, o gesseiro Fernando de Souza Dias, de 36 anos, morreu. “Ouvi meu esposo gritando mas não consegui salvá-lo. Ele foi arremessado pra fora. Ele pediu ajuda, mas não consegui”, contou a sobrevivente.

A tragédia na BR-101, em Guarapari-ES., aconteceu após a colisão entre a carreta, um ônibus de viagem e duas ambulâncias, no início da manhã de quinta-feira (22). Vinte e três pessoas morreram e outras 20 ficaram feridas.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) disse que a carreta transportava uma carga além da permitida e estava com pneu careca. O governo do estado decretou luto de três dias. Esta foi a pior tragédia em rodovias da história do Espírito Santo, segundo o secretário de Segurança Pública do Estado, André Garcia.

Fernando é de Cariacica, mas morava em São Paulo. O casal vinha ao Estado para o velório da avó de Fernando, que havia morrido um dia antes.

Apesar da gravidade do acidente, Fabiana teve apenas ferimentos leves, foi levada para a UPA de Guarapari e liberada no dia seguinte.

Já o corpo de Fabiano, foi encontrado pela família no Departamento Médico Legal (DML) de Vitória na manhã de sexta-feira (23). “Não sinto mais dor, só estou com esse aperto no coração”, relatou Fabiana.

Emocionada, ela contou como conseguiu sair do ônibus em chamas. “Depois da batida começou o fogo e parecia que o fogo estava me derretendo. Olhei pro lado e meu marido não estava do meu lado, nem ele nem a cadeira dele. Tirei o cinto, fui pra trás do ônibus pisando nos corpos. Aí eu consegui sair e caí em um barranco”, lembrou.

Já do lado de fora do coletivo, Fabiana procurou pelo marido. “Corri desesperada pelo meio do mato gritando ‘Fernando, Fernando!’, mas não achei ele. Muita gente saiu queimada de dentro do ônibus”, afirmou. (Informações: G1 ES)

  Categorias: