Parentes encontram facas e roupa sujas de sangue na casa de ex-marido acusado de matar servidora pública

Parentes encontram facas e roupa sujas de sangue na casa de ex-marido acusado de matar servidora pública
17 abril 10:41 2017 Imprimir esta notícia

Na tarde da última sexta-feira, dia 14 de abril, parentes da servidora pública Aloísia Helena Soares Borges, a “Beta”, de 42 anos, morta a facadas no interior de sua própria casa, na Rua Esplanada, Bairro Liberdade II, na região sul de Teixeira de Freitas, entregaram à Polícia Civil uma bermuda, três facas e um par de chinelos, todos com vestígios de sangue. Segundo o delegado Júlio Telles, que recebeu os materiais, os familiares encontraram a bermuda escondida no forro da casa onde o acusado de cometer o crime mora.

Edson de Jesus, de 47 anos de idade, ex-marido da vítima, relatou em depoimento à delegada Vanessa Carvalho, que a casa de Aloísia teria sido invadida por dois homens e antes deles supostamente cometerem o crime, ainda tinham acertado uma paulada em sua cabeça. Além da lesão um pouco acima da testa, Edson apresentava outras marcas no corpo, como sinais típicos de unhadas no nariz e em outros locais da face. Logo depois a delegada Andressa Carvalho se convenceu da suspeita de assassinato e prendeu o acusado em flagrante.

Segundo informações levantadas pela polícia, apesar da separação, Aloísia e Edson moravam no mesmo endereço, sendo ela nos fundos e ele na parte da frente do terreno, onde também funciona uma oficina de bicicletas. O crime aconteceu na noite da última quinta-feira (13).

Os materiais agora entregues à Polícia Civil, de acordo com o delegado Júlio Telles, foram encaminhados ao Departamento de Polícia Técnica (DPT), para serem examinados. Os exames poderão provar se o sangue encontrado, principalmente na bermuda, coincide com o da mulher morta. Não foi informado sobre coleta de algum material nas unhas da vítima.

A mulher morta, Aloísia Helena Soares Borges, a “Beta”, de 42 anos de idade, era funcionária concursada há cerca de 7 anos e após passar pela central de marcação de exames, ultimamente vinha exercendo sua função no Posto de Saúde da Família (PSF), no Bairro Jardim Liberdade, na mesma região onde acabou sendo assassinada. O corpo dela foi enterrado na manhã de sábado, dia 15 de abril. Ele deixou três filhos. (Por Ronildo Brito)

  Categorias: