Pintor capixaba é preso por estuprar “babá” de 11 anos oriunda de Caravelas

Pintor capixaba é preso por estuprar “babá” de 11 anos oriunda de Caravelas
03 janeiro 19:18 2018 Imprimir esta notícia

Um pintor industrial de 30 anos foi preso acusado de ter estuprado oito vezes uma menina de 11 anos. A vítima saiu de Caravelas para trabalhar como babá do filho do suspeito, no bairro Estrelinha, em Vitória-ES. Tiago Oliveira Pereira recebeu voz de prisão quando foi registrar uma ocorrência na delegacia após ter o celular roubado no mês passado.

O titular da Delegacia e Proteção à Criança e ao Adolescente, Lorenzo Pazolini, informou que o acusado e a esposa tinham viajado de férias para a cidade onde a vítima morava com a mãe. No local, a menina já trabalhava como babá. Durante um passeio em uma feira, a mulher do suspeito conheceu a mãe da vítima. Nesse encontro, a mulher sugeriu que a menina fosse a babá do filho do casal que tinha apenas três anos. A mãe da vítima concordou com o trabalho.

Segundo a polícia, a menina trabalhou na casa da família por sete meses no ano de 2016. Foi nesse período que os crimes aconteceram. Pazolini explicou que o acusado aproveitava quando a esposa estava trabalhando, na parte da tarde, para abusar da menina. Além dos estupros, Tiago agredia a vítima com socos, puxões de cabelo e até com uma panela de pressão.

A menina contou sobre os abusos que sofria a uma vizinha, que procurou a polícia e fez uma denúncia. Na ocasião, um inquérito foi aberto e os estupros foram comprovados com exames e laudo psicossociais. Um mandado de prisão preventiva foi expedido contra Tiago. No entanto, o acusado e a família se mudaram e ele era considerado foragido da polícia desde janeiro de 2017.

Ainda de acordo com Pazolini, no dia 21 de dezembro de 2017, Tiago procurou a delegacia de Santo Antônio, em Vitória, para registrar uma ocorrência depois de o celular dele ter sido roubado. No momento de fazer o registro, os policiais identificaram que ele tinha um mandado de prisão em aberto. Foi dado voz de prisão, e ele foi preso no local.

Tiago negou os crimes e informou que não sabia da existência de um mandado de prisão contra ele. A esposa também alega não ter conhecimento dos crimes.

A vítima, de acordo com Pazolini, foi reintegrada à família logo que os crimes foram comprovados pela polícia. Ela foi encaminhada novamente à Caravelas. Como a mãe da garota permitiu que a filha se mudasse para trabalhar, a polícia da Bahia continuará investigando o caso. (Informações: A Gazeta)

  Categorias: