Polícia Civil de Nova Viçosa age rápido, desvenda crime cruel e prende acusados escondidos em Posto da Mata

Polícia Civil de Nova Viçosa age rápido, desvenda crime cruel e prende acusados escondidos em Posto da Mata
12 agosto 23:56 2017 Imprimir esta notícia

Sob o comando da delegada Waldiza Fernandes, a equipe do Serviço de Investigação (SI), da Delegacia de Polícia Civil de Nova Viçosa (DEPOL), na manhã desta última sexta-feira, dia 11 de agosto, logo após o homicídio ocorrido no Bairro Primavera, deu início às investigações. Trata-se de homicídio, que vitimou Nivaldo Constantino Conceição, de 34 anos de anos, morto com requintes de crueldade. Os investigadores começaram a ouvir pessoas acerca do que teria motivado o crime e possíveis autores, e estiveram no local, onde após levantamentos, descobriram autoria e motivação.

Segundo as investigações, por volta de 01h30 da madrugada da sexta-feira (11), alguns moradores ouviram um barulho de briga, e então os vizinhos acionaram a Polícia Militar, pedindo socorro, mas, ao chegarem, os militares descobriram que Nivaldo já estava morto. Então, os investigadores, juntamente com a delegada Waldiza Fernandes, receberam uma informação anônima de que os autores do crime estariam em uma residência localizada na Rua das Rosas, no Bairro Jardim Primavera, em Posto da Mata. A delegada solicitou apoio da Polícia Militar e seguiu com os investigadores até o local denunciado, e após cerco foi identificado que no interior da residência existiam oito pessoas, que foram conduzidas à sede da Delegacia de Polícia Civil.

Após horas de oitivas e confrontamento de informações, foi descoberto que o homicídio havia sido praticado por Jonas Monteiro Nunes, o “Joninho”, que reside na Rua Araras, no Bairro Morada dos Eucaliptos; Iuris Ferreira Conceição, 19, morador da Rua das Flores, no Bairro Jardim Primavera e um adolescente de 17 anos de idade. Um quarto acusado de participar do crime, identificado pelo prenome de Lucas, segundo a delegada Waldiza Fernandes, encontra-se foragido.

Segundo as investigações, Jonas, Iuris, Lucas e o menor estavam bebendo em um bar, quando a vítima, que era conhecida como “Tuinho”, teria discutido com o menor. Durante a discussão, Nivaldo chamou o menor de “Porqueira” e logo depois da desavença, todos foram embora. Já na porta de casa, a vítima voltou a discutir com o menor, e disse que daria uma facada no mesmo, e então teve início a uma briga, que envolveu Nivaldo (vítima fatal), o adolescente, Lucas, Jonas e Iuris. Os acusados então desferiram contra a vítima, socos, pontapés, e golpes com objetos contundentes (pau e pedra). A briga só parou após um morador chegar e separar os autores de perto da vítima, que ficou caída no chão.

Momentos depois, Lucas e Jonas voltaram até o local e mataram Nivaldo, usando um pedaço de pau, uma lajota e um tronco de madeira, que foram usados para atingir o rosto e a cabeça da vítima. Os acusados foram ouvidos e Jonas confessou o crime, contando todos os detalhes. Com base nos depoimentos colhidos e nas provas apresentadas e colhidas pelos investigadores, a delegada flagranteou Jonas e Iuris por homicídio (artigo 121) combinado com o artigo (244-B). Já o adolescente, teve um auto de apreensão lavrado em seu desfavor por acusação de assassinato. Os indivíduos foram transferidos para a carceragem da 8ª Coorpin, onde continuam à disposição da Justiça. O menor será apresentado ao Ministério Público. (Da redação TN)

  Categorias: