Polícia Federal investiga quadrilhas que assaltam agências dos Correios no ES

Polícia Federal investiga quadrilhas que assaltam agências dos Correios no ES
24 março 09:55 2017 Imprimir esta notícia

O número de assaltos a agências e funcionários dos Correios cresceu desde o ano passado no Espírito Santo. Em 2016, de acordo com o Sindicato de Trabalhadores dos Correios, foram 19 casos de violência, sendo 10 referentes a assaltos a carteiros, 3 casos de assaltos ou arrombamentos a unidades/agências e os demais se referem a outros tipos violências sofridas durante o percurso feito pelos trabalhadores.

Neste ano, até esta quarta-feira (22), foram registrados 29 casos de violência, sendo 22 assaltos, 3 arrombamentos e 4 assaltos a veículos dos Correios.

O superintendente regional da Polícia Federal no Espírito Santo, Ildo Gasparetto, disse que existem mais quadrilhas espalhadas pelo Estado agindo, inclusive no interior, e que uma força-tarefa será montada para desarticulá-las. “Estamos trabalhando intensamente para desarticular e prender os integrantes dessas quadrilhas, inclusive em parceria com a Secretaria de Segurança do Estado, as Polícias Militar e Civil e até a Polícia Federal de outros Estados como Bahia, Rio de Janeiro e Mato Grosso, porque esse tipo de crime não tem fronteiras. Temos, ainda, uma reunião agendada com representantes dos Correios para tratar do assunto. A ação dessas quadrilhas é semelhante tanto na Grande Vitória quanto no interior e vamos fazer um cerco tático contra elas”, disse.

Gasparetto ainda afirmou que, nos próximos dias, esses tipos de ocorrências devem diminuir, uma vez que os trabalhos de investigação devem ser intensificados. No interior do Estado, o superintendente disse que são desenvolvidos programas em parceria com as polícias Civil e Militar, tendo em vista o aumento no número de assaltos. Ele também faz um alerta à população que também acaba sofrendo as consequências dos assaltos às agências. “A população pode nos ajudar denunciando os foragidos”.

Em Baixo Guandu, por exemplo, desde o assalto à agência no último final de semana, as portas estão fechadas e o atendimento à população foi suspenso. (Informações: A Gazeta)

  Categorias: