Policiais civis promovem evento para discutir a gestão orçamentária do Governo do Estado

Policiais civis promovem evento para discutir a gestão orçamentária do Governo do Estado
12 abril 10:01 2016 Imprimir esta notícia

Na manhã desta quarta-feira (13), escrivães, investigadores e aprovados no concurso público de 2013 da Polícia Civil baiana vão promover grande plenária para debater o orçamento público estadual “Desvendado As Contas do Governo” com o Auditor Fiscal da Controladoria Geral da União (CGU), Filipe Leão Marques, das 9hs às 12hs, no auditório da Ordem dos Advogados(OAB), localizada na Piedade, centro da capital baiana.

O objetivo da plenária é discutir as finanças do Governo do Estado e apontar argumentos sólidos para pressionar e reivindicar ao Governador o enquadramento dos escrivães e investigadores na tabela salarial de nível superior, conforme já consta na Lei Orgânica de 2009 (nº 11.370\2009) e a nomeação dos 800 aprovados do último concurso público da Polícia Civil que aguardam a convocação há três anos.

O escrivão Luiz Carlos destaca que na última audiência realizada na Governadoria, em 16 de março, na qual contou com a participação de representantes da SAEB e SERIN, o Governo deixou claro que não irá negociar com nenhuma categoria ou entidade representativa até o final do mês de maio quando será publicado o segundo relatório das despesas estaduais. “O governo argumentou que está passando por dificuldades orçamentárias e atingiu o Limite Prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) com despesas de pessoal. Eles disseram que estão impedidos de conceder qualquer reajuste salarial e nomeação dos concursados”, pontua o escrivão.

O investigador Ary Alves enfatiza que a finalidade do evento consiste em obter uma maior compreensão sobre a engrenagem orçamentária do Estado para a categoria se munir de argumentos durante o processo de negociação com o Governo. “ O auditor vai nos dar toda a orientação necessária para questionarmos a posição governamental de falta de dinheiro. Temos uma gestão voltada ao enriquecimento dos delegados e o empobrecimento dos escrivães e investigadores! Cansamos de sermos os primos pobres da Polícia Civil!”, enfatizou Alves.

O investigador lembrou ainda que na última audiência o Governo afirmou que vai apenas alterar a nomenclatura do contracheque de “Nível Médio para Nível Superior”, entretanto, não deu nenhuma sinalização quanto ao enquadramento na tabela salarial. A categoria realizou uma carreata há cerca de quinze dias que saiu da sede da Polícia Civil, na Piedade, em direção à Governadoria e não obteve nenhuma resposta positiva da gestão estadual. (Da redação TN)

  Categorias:

Comente a matéria

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Comentários anônimos (perfis falsos ou não) ou que firam leis, princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas podem ser excluídos caso haja denúncia ou sejam detectados pelo site. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, entre outros, podem ser excluídos sem prévio aviso. Caso haja necessidade, também impediremos de comentar novamente neste site os perfis que tiveram comentários excluídos por qualquer motivo. Comentários com links serão sumariamente excluídos.