Prado: Vereadores entram com mandado de segurança e pedem saída de Jorginho da presidência da Câmara

Prado: Vereadores entram com mandado de segurança e pedem saída de Jorginho da presidência da Câmara
Vereadores reunidos com o juiz Leonardo Coelho, titular da comarca do Prado
17 fevereiro 17:46 2017 Imprimir esta notícia

Os vereadores Professor Boloca  (PMDB), Brênio Pires (PR), Odilei  Queiroz (DEM) e Luciana da Look Gás (PSB), acabam de ingressar com um mandado de segurança na Justiça, solicitando o afastamento do vereador Diógenes Ferreira Lopes ‘Jorginho’ (PSL), da presidência da Câmara Municipal do Prado

Segundo os vereadores, Jorginho foi reeleito presidente da casa no dia 01 de janeiro de 2017, infringindo a Emenda 01/2013, da Lei Orgânica Municipal, aprovada por unanimidade no dia 08 de abril de 2014, que impede a reeleição dos membros da mesa diretora. “O vereador Jorginho já ocupava o cargo de presidente nos biênios 2015/2016 e não podia ser candidatar novamente”, denuncia Brênio Pires.

Segundo os denunciantes, após ser reeleito e saber que alguns vereadores iriam entrar na Justiça. ‘Jorginho’ teria escondido os documentos que comprovariam a aprovação da emenda à Lei Orgânica. Para piorar ainda mais sua situação, de acordo com o vereador Brênio Pires, o presidente reeleito teria dado férias sem justificativa aos dois funcionários responsáveis por guardar e caso solicitado entregar cópias dos documentos.

“Com os funcionários de férias e sem colocar nenhum outro no lugar para substituí-los, Jorginho está obstruindo qualquer pessoa a obter informações referentes às mudanças na Lei Orgânica, Lei essa que deveria estar publicada de forma atualizada no site da Câmara Municipal de Prado”, completa.

Além de procurar o Ministério Público (MP), para que investigue o caso, os vereadores impetraram um mandado de segurança solicitando que o juiz Leonardo Coelho, titular da comarca, em caráter liminar, afaste Diógenes Ferreira Lopes ‘Jorginho’ (PSL), da presidência da Câmara.

O presidente ora questionado ainda não falou oficialmente sobre o assunto e nem comentou os motivos de ter dado férias aos dois servidores responsáveis pelo arquivo de documentos do Legislativo pradense. (Por Ronildo Brito)

  Categorias: