Prefeitura esclarece em “NOTA” sobre imbróglio do Loteamento Colina Verde em Teixeira de Freitas

Prefeitura esclarece em “NOTA” sobre imbróglio do Loteamento Colina Verde em Teixeira de Freitas
22 julho 16:37 2017 Imprimir esta notícia

A Prefeitura Municipal de Teixeira de Freitas após ter sida procurada por habitantes do bairro Colina Verde, na zona norte da cidade, vem através desta nota de esclarecimento, informar e esclarecer que a reintegração de posse das quadras 33, 34 e 35 do Loteamento Colina Verde foi uma ação e determinação do Poder Judiciário do Estado da Bahia, em processo transitado e julgado em que a Prefeitura Municipal de Teixeira de Freitas não é parte, pois trata-se de imóvel particular.

Na mesma nota o prefeito de Teixeira de Freitas, Temóteo Alves de Brito (PSD), disse que a Prefeitura Municipal não possui nenhum meio legal de interferir em questões jurídicas de foro particular. Mas que independente do resultado final da ação judicial em curso, que o município se colocará sempre ao lado dos moradores do bairro Colina Verde, mas que respeitará sempre a decisão da Justiça.

A decisão – A área em questão que houve decisão da justiça para que os invasores desocupem trata-se do campo eletrificado de concessão pública federal da Rádio Alvorada AM, 990 KHZ. Populares ocuparam o campo do parque de transmissão da emissora no inicio do ano de 2014 e somente agora veio à decisão da justiça determinando a reintegração de posse.

O local além de portar uma torre de 90 metros, possui o campo raiado, com fios de cobre eletrificado subterrâneo e aéreo. Mas a informação é que os ocupantes da área temendo a morte de alguém por eletroplessão, cortaram os fios elétricos e deixaram à emissora desprotegida de um desastre natural. Para os especialistas da engenharia elétrica, no estado que se encontra a estação, caso venha ocorrer um fenômeno natural no local atraído pelos equipamentos da emissora, a chance de alguém aos seus arredores sobreviver é mínima.

Para o fim do imbróglio, só existem duas chances: O devido cumprimento da desocupação da área, ou o governo federal autorizar a mudança da emissora do local, que se sabe que é um processo longo e complexo. (Da redação TN).

  Categorias: