Quebrou minha perna em três lugares: Motorista do vice-prefeito de Itamaraju é acusado de provocar acidente de trânsito

Quebrou minha perna em três lugares: Motorista do vice-prefeito de Itamaraju é acusado de provocar acidente de trânsito
Clóvis (à esq.) teve a perna fraturada em três lugares e Luann Pablo Lembrance (à dir.) acusado de provocar o acidente
20 março 10:05 2017 Imprimir esta notícia

O acidente automobilístico aconteceu no início da tarde deste último sábado, dia 18 de março, na Rua JJ Seabra, na região central de Itamaraju e envolveu uma motocicleta Honda CG, de cor vermelha, placa policial JMN-7546 e uma Toyota Hilux, que ainda por motivos desconhecidos, não teve os seus dados explícitos da ocorrência formalizada pela Polícia Militar, principalmente o nome do seu proprietário.

O condutor da moto, conhecido como Clóvis do Bar, segundo testemunhas, seguida pela rua em sua mão de direção, quando o condutor da Hilux, que também teve o seu nome omitido da ocorrência de trânsito, tentou acessar a via, sem fazer a parada obrigatória. O motociclista Clóvis do Bar, para tentar evitar o impacto, promoveu uma brusca frenagem, quando desequilibrou- se e sofreu uma violenta queda.

clovisd1Com a queda o pequeno comerciante fraturou a perna esquerda em três lugares, recebeu atendimento parcial e ainda aguarda procedimento cirúrgico, que custará R$ 10 mil. Por enquanto ele está com o membro imobilizada, sem ter como movimentar-se. “Quem me conhece sabe que sou ágil, não fico quieto. Agora fui atropelado pelo motorista do vice-prefeito, que quase me matou. Não sei por quanto tempo vou ficar aqui imóvel na cama”, falou Clóvis do Bar em um áudio enviado ao Teixeira News.

O motorista acusado de provocar o atropelamento é Luann Pablo Lembrance Vieira, nomeado pelo prefeito Marcelo Angênica (PSDB), como assessor nível 1 em 6 de janeiro de 2017, com 100% de gratificação, que na verdade atua como motorista particular do vice-prefeito Téa Pires. O acusado, bem como  o vice-prefeito, ainda não informaram se vão prestar algum tipo de ajuda ao comerciante atropelado, sobretudo os gastos médicos e com medicamentos, além dos prejuízos dos dias em que terá de ficar sem trabalhar.

Aguarda-se também para o início dessa semana um posicionamento do comando da 43ª Companhia Independente da Polícia Militar de Itamaraju (CIPM), sobre a acusação de ter omitido os dados do veículo, bem como do motorista do vice-prefeito na ocorrência formalizada no local do acidente. (Por Ronildo Brito)

  Categorias: