Reviravolta no caso de menor morto supostamente por bala perdida em Medeiros Neto

Reviravolta no caso de menor morto supostamente por bala perdida em Medeiros Neto
18 abril 18:24 2017 Imprimir esta notícia

A Polícia Civil acaba de informar a conclusão das investigações envolvendo a morte do menor Paulo Henrique Costa Santos, fato ocorrido na manhã do dia 13 de dezembro de 2016, por volta das 11h, na Rua Itália, Bairro Uldurico Pinto, em Medeiros Neto. Segundo o delegado William Telles, responsável pela equipe de investigação, o disparo fatal foi dado por outro menor, já com passagem na polícia.

A ocorrência registrada à época constava apenas que a vítima havia sido baleada quando brincava na rua, supostamente por bala perdida. Foi solicitado socorro por populares e quando o SAMU chegou, a vítima já estava  em óbito.

Após ser designado para responder pela Delegacia Territorial de Medeiros Neto (DT), em 30 de março de 2017 e solicitar ao cartório o inventário dos homicídios recentes sem autoria, o delegado Willian Telles diz que deu atenção especial ao caso, face à vítima ser menor de idade e a morte ter causado grande repercussão.

As investigações até então não haviam indicado suspeitos, pois acreditava-se tratar de um caso de bala perdida.

A partir daí as investigações se concentraram nos outros adolescentes que brincavam na rua com a vítima no momento em que Paulo Henrique foi  atingido, sendo que o nome de um dos menores chamou a atenção, pois no início do mês de abril deste ano, o referido foi encaminhado à Delegacia Territorial de Teixeira de Freitas (DT), por membros do Conselho Tutelar, por supostamente ter entrado armado na escola.

O infrator, que até então levantava apenas suspeitas, foi encaminhado de volta  à Delegacia Territorial de Medeiros Neto (DT), junto com a mãe e conselheiros tutelares, oportunidade que confessou ter sido ele o autor do disparo que vitimou Paulo Henrique, tendo informado que havia furtado há alguns dias a arma de fogo da casa de um tio e a mostrava para o colega de brincadeira, quando ocorreu um disparo acidental, atingindo a vítima no região das costelas.

Outro menor, irmão do acusado, estava presente quando houve o disparo que vitimou Paulo Henrique e também confirmou todo o ocorrido. A arma já havia sido vendida, mas policiais da DT de Medeiros Neto conseguiram recuperá-la e apreendê-la.

“O procedimento está em fase de saneamento e aguardando apenas os laudos do Departamento de Polícia Técnica”, diz o delegado Willian Telles. Por enquanto o menor acusado continua apreendido à disposição do Ministério Público. A Polícia Civil segue com as investigações, objetivando esclarecer se o disparo fora mesmo acidental ou intencional. (Da redação TN)

  Categorias: