Sílvio Ramalho mente ao Bahia Extremo Sul e se contradiz no Bahia Notícias

Sílvio Ramalho mente ao Bahia Extremo Sul e se contradiz no Bahia Notícias
24 janeiro 01:33 2017 Imprimir esta notícia

Nesta segunda-feira, dia 23 de janeiro, o prefeito de Caravelas, Sílvio Ramalho (PMDB), publicou nota paga no site teixeirense Bahia Extremo Sul, quando tentou descaracterizar uma reportagem do Teixeira News, em relação a uma licitação de quase R$ 1,7 milhão, para realização de eventos festivos no município. Ao contrário do publicado inicialmente no extrato do Pregão Presencial, Ramalho agora tenta justificar que os gastos não são apenas para o Carnaval e CarnaBarra e sim, para o calendário festivo municipal durante o ano de 2017.

Na nota o chefe do Executivo caravelense afirma que não decretou o “Estado de Emergência” em virtude do caos financeiro que encontrou a prefeitura, mas em virtude da questão administrativa,vez que os principais setores da Administração foram esvaziados pela gestão anterior de Jadson Ruas.

O mesmo site Bahia Extremo Sul publicou no último dia 4 de janeiro, uma matéria relacionada com o decreto emergencial. “Que a situação de Caravelas era caótica, a gente já sabia, mas não pensávamos que fosse tão devastadora, tanto na manutenção dos serviços básicos como, coleta de lixo, remédios, iluminação e outros serviços essenciais no dia a dia da população como no pagamento de servidores, fornecedores e serviços da Coelba, Embasa e telefone”, disse o preito Silvio Ramalho.

E segue o texto publicado pelo Bahia Extremo Sul: “Para se ter uma ideia de como ficou a situação da prefeitura, o ex-prefeito Jadson Ruas deixou a folha de pagamento dos servidores que soma R$ 1.238.000 (hum milhão duzentos e trinta e oito mil reais) sem pagar, “foram feitos alguns pagamentos pra aliados”, a conta de água chega a quase trezentos mil reais, fora os cheques que foram emitidos que devem ultrapassar a cifra de quatro milhões, e nas contas da prefeitura o saldo deixado foi de trezentos mil reais”, informou Luiz Renor, secretário de administração.

” As máquinas do município, duas retroescavadeiras, duas patróis e duas caçambas estão inutilizadas, os veículos estão em sua maioria quebrados”, informa as alegações de Sílvio Ramalho. E reforça: “Por estas e outras coisas é que o prefeito Sílvio Ramalho impossibilitado de iniciar sua gestão decretou “Situação de Emergência” no município”.

E finaliza: “Diante da situação e calamidade financeira que o município se encontra, o prefeito Silvio Ramalho disse que ele e seus assessores estão tomando conhecimento e identificando das dívidas deixadas por Jadson Ruas antes de tomar qualquer decisão. Silvio disse que está ciente da situação complicada em que pegou o município, mas reconhece que está preparado e com uma equipe afinada para administrar a cidade e antes de tomar qualquer decisão quanto ao “caos financeiro”, ele está consultando o jurídico para saber que decisões tomar diante das dívidas deixadas por Jadson”. Leia a matéria completa AQUI.

Já ao site Bahia Notícias, de Salvador, Ramalho se contradiz ainda mais explicitamente, ao afirmar nesta segunda-feira (23), que o valor superior a R$ 1,6 milhão da licitação, era pra pagamento de 15 eventos festivos, enquanto na nota paga publicada no Bahia Extremo Sul ele relacionou apenas 11. ‘Segundo ele, o Carnabarra irá consumir R$ 73 mil, bem mais barato, reafirma, do que o realizado ano passado’. “Eles gastaram mais de R$ 1,3 milhão só no carnaval”, acusa”. Ao Bahia Extremo Sul ele escreveu que gastaria no Carnaval e CarnaBarra R$ 900 mil.

“O decreto de emergência foi porque o ex-prefeito não deixou nenhum papel de contrato [de fornecedores], nenhum documento, o decreto foi pela questão administrativa”, justificou Ramalho ao Bahia Notícias. Leia AQUI.

Ao Bahia Extremo Sul em 4 de janeiro: “Silvio disse que está ciente da situação complicada em que pegou o município, mas reconhece que está preparado e com uma equipe afinada para administrar a cidade e antes de tomar qualquer decisão quanto ao “caos financeiro”, ele está consultando o jurídico para saber que decisões tomar diante das dívidas deixadas por Jadson”. (Por Ronildo Brito)

  Categorias: