A pujança econômica da cidade no 31º Aniversário de Teixeira de Freitas

A pujança econômica da cidade no 31º Aniversário de Teixeira de Freitas
09 maio 12:43 2016 Imprimir esta notícia

O município de Teixeira de Freitas está comemorando hoje (09/05), os 31 anos de emancipação política e administrativa. E trata-se de uma cidade pujante que cresce independente e também com ajuda do Estado e da União. A chegada do Campus de Saúde Paulo Freire da UFSB – Universidade Federal do Sul da Bahia para a cidade de Teixeira de Freitas, foram motivadas pela grandeza econômica da região extremo sul, tendo em vista que Teixeira possui uma população estimada em 170 mil habitantes, dos quais 112 mil são eleitores.

Teixeira de Freitas possui 63 bairros com 42.954 domicílios residenciais, cortada pelas Rodovias BR-101, BA-290 e margeada pela  BR-418, e é hoje, a 7ª maior cidade do interior da Bahia e se tornou o centro das atenções do extremo sul baiano, nordeste de Minas Gerais e extremo norte do Espírito Santo, por sediar o desenvolvimento socioeconômico de uma região que pensa em geração de emprego e renda, e onde o setor da construção civil cresce em igual proporção.

O SINCOMÉRCIO local fechou o dia 31 de julho de 2015, com 4.963 empresas ativas e, na Bahia, Teixeira de Freitas só perde para Vitória da Conquista, Feira de Santana e Salvador, são hoje 19.211 pessoas trabalhando somente no comércio. São 13 municípios do extremo sul baiano, 10 do extremo norte capixaba e 12 do nordeste mineiro consumindo diariamente em Teixeira de Freitas, em razão de ter o terceiro maior pólo comercial do interior da Bahia e possuir o maior pólo de saúde pública da tríplice fronteira dos estados da Bahia, Minas Gerais e Espírito Santo. Embora tenha um dos menores territórios geográficos do extremo sul, com apenas 1.154 km² desmembrado dos municípios de Alcobaça (68%) e Caravelas (32%), em 9 de maio de 1985, mas ainda é do campo que o município mais arrecada com 51% da sua receita tributada.

mibd3Ao leste do município de Teixeira de Freitas estão os litorais de Prado, Alcobaça, Caravelas, Nova Viçosa e Mucuri, que formam o terceiro maior pólo turístico do nordeste brasileiro, a segunda maior produção de mamão do Brasil e a maior produção de papel do Brasil e a terceira maior produção de celulose do Mundo.

Ao oeste estão os municípios de Medeiros Neto, Itanhém, Lajedão, Ibirapuã e 48% do território de Caravelas, com a maior produção de leite da Bahia e com o maior pólo de indústrias sucroalcooleiras da Bahia, com a UNIAL em Lajedão, a IBIRÁCOOL em Ibirapuã e a SANTA MARIA em Caravelas, que são usinas de álcool implantadas em um raio de  15 quilômetros uma da outra e juntas elas produzem cerca de 240 milhões de litros/ano, gerando atualmente, 3,9 mil empregos diretos e 9,8 mil empregos indiretos para região.

Ao norte estão os municípios de Vereda, Jucuruçu e Itamaraju, com a segunda maior produção de cacau do Estado, com o Complexo Hidrelétrico Serra da Prata, com o maior rebanho bovino da Bahia, com a maior produção de café conilon do mundo, com a maior produção agrícola desta mesorregião e com o maior índice estadual de geração de empregos no campo da Bahia.

mib3Ao sul de Teixeira de Freitas tem novamente terras dos territórios de Caravelas, Nova Viçosa e Mucuri, com o maior plantio de eucalipto para celulose do nordeste brasileiro, sediando o maior porto de navios e barcaças do Estado em Caravelas, com a maior indústria de madeira fina da Bahia em Posto da Mata, já no distrito de Itabatã em Mucuri, está sediada a “Suzano”, unidade de uma das três maiores fábricas de papel e celulose do Planeta.

Teixeira de Freitas é ainda atingida economicamente com a influência dos empreendimentos e fluxos do grupo que é o maior produtor de celulose do mundo (Veracel em Eunápolis e Fibria em Aracruz). Além da influência direta do turismo de Porto Seguro que é o terceiro maior pólo turístico do país, considerando que o turismo é a maior indústria do mundo e no Brasil, o extenso litoral de Porto Seguro está atrás apenas dos atrativos do Rio de Janeiro e Salvador.

Mas a sua pujança na construção civil e os investimentos da iniciativa privada na região, são fatores causadores do grande crescimento de Teixeira de Freitas nos últimos anos. Nos últimos três anos, que compreende o período de fevereiro de 2013 até abril de 2016, Teixeira de Freitas ganhou na sua economia com a construção civil, somente pelo programa “Minha Casa Minha Vida” um valor superior há R$ 200 milhões, sendo que deste total, R$ 69 milhões foram investidos na mão de obra local e o restante na aquisição de terrenos e materiais diversos para as construções. Além do investimento feito pela Prefeitura Municipal e pelo Governo Federal no valor de R$ 103,4 milhões na construção de 2.620 novas moradias na cidade.

mibd2Todo o extremo sul baiano que é composto pro 21 municípios a sua população é de 845.983 habitantes. Já contando apenas a micro região da tríplice fronteira de estados em que Teixeira de Freitas está sediada e é a cidade pólo desta região, a população é de de 780 mil habitantes e Teixeira de Freitas está entre os 106 municípios brasileiros que mantém desde 2002, uma taxa de crescimento econômico igual ou superior à nacional, de 4% ao ano.

Sua densidade demográfica é 102,59 habitantes por km², já são mais de 42 mil residências estabelecidas e a taxa média de crescimento do teixeirense anual é de 2,6%, cuja renda média domiciliar mensal é de R$ 2.236,00. Em 31 de julho de 2015, a frota de veículos de Teixeira de Feitas, fechou em 40.133 veículos. Atualmente é um veículo para cada 4 pessoas. A classe-B na Bahia é de 14,4%, no extremo sul baiano é de 14,7%, já em Teixeira de Freitas, é de 18,2%, ou seja, o teixeirense melhora de vida mais do que a média da região e do Estado.

Através do setor privado, a cidade ganhou um acréscimo de mais de R$ 70 milhões na sua economia com a construção de apartamentos. Em 2014 e 2015, foram vendidos em Teixeira de Freitas, cerca 150 apartamentos em edifícios estabelecidos em condomínios de médio e alto padrão. Só na infra-estrutura das localidades, com a construção de esgotamento e pavimentação nos condomínios em Teixeira de Freitas, a iniciativa privada investiu um valor que supera os R$ 20 milhões.

mibd1Somente em 2014 e 2015, a Prefeitura Municipal expediu alvarás de construção para 4.195 unidades habitacionais, o que significa um crescimento de 1.000% no número de construções em relação aos anos anteriores. Tanto que a Revista VEJA em setembro de 2010 e em maio de 2012, numa reportagem sobre um estudo das cidades médias do Brasil, já havia colocado Teixeira de Freitas como a 4ª cidade mais pujante comercialmente no interior do Estado da Bahia e a 12ª do interior do país.

O presidente do SINCOMÉRCIO – Sindicato do Comércio Atacadista e Varejista de Teixeira de Freitas,Allison Ferreira, disse que é público e notório a pujança da cidade e, somente o programa “Minha Casa, Minha Vida”, já superou a construção de 5 mil novas moradias na cidade e representou um acréscimo de 291 milhões de reais na economia de Teixeira de Freitas, o que mostra para o Brasil seu potencial econômico adquirido com a cultura do eucalipto, do comércio, da cana de açúcar, do gado e da construção civil. Sendo que os recursos da construção civil aqueceram o mercado teixeirense, porque trata-se de um dinheiro que chega de fora, direto para mão do construtor, do engenheiro, do pedreiro, ajudante, auxiliar de serviços gerais, carpinteiro, eletricista, comerciante, carregador e muitos outros profissionais empregados diretos e indiretos.

mibdConforme o delegado regional do CRECI – Conselho Regional de Corretores de Imóveis da Bahia, Flávio Guimarães de Pádua, em apenas cinco anos, a cidade passou de duas imobiliárias para 20 instituições desta natureza, e passou de seis corretores para quase 200 corretores de imóveis credenciados. Segundo Flávio Guimarães, nos últimos dois anos e meio, a cidade expandiu 40% do seu território urbano, em todas as direções, fruto da criação de novos bairros, condomínios e centros empresariais. Acrescentando que a cidade é a grande metrópole da região onde de tudo é possível se realizar e encontrar, e serve atualmente de referência comercial, educacional e empresarial para três povos divisórios, baianos, mineiros e capixabas. (Por Athylla Borborema).

  Categorias: