Teixeira de Freitas se despede de Jota Batista, um dos ícones do rádio teixeirense

Teixeira de Freitas se despede de Jota Batista, um dos ícones do rádio teixeirense
17 outubro 13:44 2017 Imprimir esta notícia

Morreu na manhã desta segunda-feira, dia 16 de outubro, num dos leitos do Hospital Municipal de Teixeira de Freitas (HMTF), o comunicador Jota Batista, um dos primeiros radialistas da cidade, com uma longa passagem pelas rádios Difusora AM, que hoje migrou-se para Eldorado FM e Alvorada AM.

Jota Batista Guedes, de 79 anos, chegou na cidade de Teixeira de Freitas em 1986, vindo de Teófilo Otoni, depois de atuar numa emissora também AM, que leva até hoje o nome da cidade mineira. Em solo teixeirense ele foi contratado pela Difusora AM, onde foi admirado e seguido por seus ouvintes. Saindo de Teixeira de Freitas, Batista retornou para Teófilo Otoni-MG., mas meses depois, voltou para Teixeira de Freitas, como já contratado da Rádio Alvorada (990 AM).

Jota Batista trabalhou com outros ícones do rádio regional, como Salvador Rodrigues e chegou a ser dirigido por Ramiro Guedes, que hoje trabalha na Rádio Câmara (90,9 FM). Quando a Rádio Alvorada foi vendida por Temóteo Brito, hoje prefeito de Teixeira de Freitas, para a família Pinto, Jota Batista não aceitou e sendo “temotista” ferrenho, resolveu pedir demissão da emissora e passou a trabalhar com spots e gravar as publicidades do sistema de sonorização “poste” VibraSom, além de chamadas de campanhas eleitorais, rádios e lojas de toda a região e até em outros estados.

Jota Batista, além da humildade e caráter, era reconhecido pela voz grave a aveludada que sempre marcou a sua carreira. No rádio as suas mensagens de otimismo eram acompanhadas diariamente como inspiração de vida por seus ouvintes.

Ultimamente o comunicador, acometido por um câncer, começou a receber tratamento no Hospital Municipal de Teixeira de Freitas (HMTF), onde nesta segunda-feira (16), acabou não resistindo e veio a óbito.

O velório aconteceu até às 10h dessa terça-feira, dia 17 de outubro, no templo da Igreja Maranata, localizado à Rua dos Imigrantes, no Bairro Kaikan Sul, de onde saiu para sepultado no cemitério local. (Por Ronildo Brito)

  Categorias: