Território quilombola na Chapada Diamantina tem Portaria de Reconhecimento publicada

Território quilombola na Chapada Diamantina tem Portaria de Reconhecimento publicada
10 agosto 21:46 2017 Imprimir esta notícia

O Território Quilombola Morro Redondo teve Portaria de Reconhecimento do Incra publicada no Diário Oficial da União (DOU), nesta quinta-feira (10/08).  A publicação beneficia as 67 famílias que vivem no território de 5.068 hectares, localizado no município de Seabra, na Chapada Diamantina.

A portaria de reconhecimento consolida o território e dá legitimidade ao conteúdo do Relatório Técnico de Identificação e Delimitação (RTID), que teve a última retificação publicada em 2015.

O técnico de reforma e desenvolvimento agrário, Claudio Bonfim, que atua na área, conta que o território é composto por uma grande área devoluta que já é usada pelas famílias.

Histórico

A região da Chapada Diamantina que engloba o Território de Morro Redondo foi foco da exploração mineral de ouro e de pedras preciosas. De acordo com o Relatório Antropológico, no Século XVIII, escravos africanos da etnia Bantos e Jêjes foram levados para o local para trabalharem no garimpo de diamantes.

O quilombo de Morro Redondo foi fundado pelo escravo chamado de Timóteo Cardoso que, por volta de 1880, chegou à região junto com Catarina e outros parentes. “Timutinho”, como era conhecido e Catarina tiveram seis filhos. Os primeiros descendentes do território casaram-se entre si.

O nome “Morro Redondo” é uma referência a uma serra que existe no quilombo. Atualmente, as famílias plantam variações de milho, mandioca, mamona, café e feijão para sobreviveram. (Da redação TN)

  Categorias: