Três anos: Vereador Joris cobra resposta do Estado sobre assassinato do seu pai Jel Lopes

Três anos: Vereador Joris cobra resposta do Estado sobre assassinato do seu pai Jel Lopes
18 fevereiro 17:02 2017 Imprimir esta notícia

Na sessão ordinária da Câmara Municipal de Teixeira de Freitas, na noite da última quinta-feira (16/02), o vereador e jornalista Joris Bento Xavier (PTC), aproveitou a data que se comemora o “dia do repórter” para lembrar o assassinato do seu pai, o radialista, jornalista e ex-vereador Geolino Xavier Lopes, o “Gel Lopes”, de 44 anos na época em que foi assassinado na noite de quinta-feira de carnaval, do dia 27 de fevereiro de 2014.

O vereador Joris Bento Xavier disse que é inacreditável que o Estado não dê atenção em relação ao assassinato do seu pai e que na próxima segunda-feira de carnaval, dia 27 de fevereiro, já vai completar 3 anos da morte do seu pai e até hoje a Polícia Judiciária não apresentou uma única versão se quer da linha de trabalho que foi adotada.

“O Estado precisa me responder e responder a sociedade de Teixeira de Freitas o que aconteceu com o me pai e quais foram as circunstâncias que levaram a sua morte de forma tão bárbara. É dever do Estado elucidar este caso e prender seus assassinos, ao mínimo em respeito a sociedade. Já até parece brincadeira, se mata jornalista no meio da rua e sempre fica por isso mesmo. Já são 13 jornalistas assassinados no Estado e sem resolução alguma”, desabafou o parlamentar.

O radialista e jornalista, ex-vereador e pré-candidato a deputado federal Jeolino Xavier Lopes, o “Jel Lopes”, 44 anos, foi assassinado com 6 tiros por volta das 21h15 de quinta-feira do dia 27 de fevereiro de 2014 (primeiro dia de festa de carnaval na região), no interior do seu veículo, um Volkswagen modelo Voyage, cor verde, plotado com a marca do seu portal de notícias.

O crime ocorreu na ocasião em frente ao prédio de nº 348 da Rua da Saudade, no bairro Bela Vista, numa região central de Teixeira de Freitas, onde foi deixar em casa, o colega repórter esportivo Djalma Ferreira, 72 anos. A sua namorada Daniele Ferreira dos Santos, 25 anos na época, que estava no banco traseiro, acabou ferida na perna direita por um projétil de arma de fogo. Ela estava grávida do jornalista e hoje é mãe de uma garotinha de mais de dois anos e meio.

O seu filho Joris Bento Xavier, que se formou junto com o seu pai em 2013, na primeira turma do curso de jornalismo da Faculdade do Sul da Bahia FASB) e trabalhava ao lado do seu genitor no Portal de Noticias N3, vem ao longo desses anos, lutando por justiça para que ao menos as autoridades baianas esclareçam os motivos que levaram ao assassinato do seu pai. Mas até hoje a morte do jornalista Jel Lopes é um mistério.

Joris Bento Xavier, o “Joris de Jel” (PTC), hoje um jovem de 27 anos, se candidatou a vereador com a missão entre as suas bandeiras levantadas como legislador, buscar a promoção da justiça em torno da morte do seu pai. E nas eleições municipais de 2016, foi o segundo vereador mais votado de Teixeira de Freitas com 1.394 votos. Mas o seu estado de angústia e falta de empenho do Estado da Bahia no esclarecimento da morte do seu genitor lhe forçou a seguir os próprios passos do pai e também ingressou na política, obtendo êxito nesta sua primeira missão. Joris de Jel contou com um reduto eleitoral importante para sua eleição que foi o distrito de Santo Antônio onde mora ele e sua família e onde também era residência do seu pai Jel Lopes. (Por Athylla Borborema).

  Categorias: