UFSB cola grau do 1º ciclo e inicia o curso de medicina em Teixeira de Freitas

UFSB cola grau do 1º ciclo e inicia o curso de medicina em Teixeira de Freitas
27 fevereiro 10:41 2018 Imprimir esta notícia

A noite desta segunda-feira (26/02), foi um marco não só para a história da UFSB, mas para a cidade de Teixeira de Freitas e, em especial, para a região extremo sul da Bahia, quando marca o início das atividades do curso de Medicina na instituição. Depois de três anos da sua Aula Inaugural, a Universidade Federal do Sul da Bahia realizou a primeira solenidade de colação de grau do primeiro ciclo do curso de medicina que iniciou este mês na sua fase especifica. O evento foi prestigiado pelos familiares dos alunos e por diversas autoridades da cidade e, dentre os presentes, o professor Hermon Freitas (secretário Municipal de Educação), o ex-prefeito João Bosco, o vice-prefeito Lucas Bocão (PV), o deputado federal Uldurico Junior (PV), o prefeito de Vereda Dinoel Carvalho (PSD) e o deputado federal Jorge Solla (PT) que foi o palestrante da noite.

Foto 02Os 92 alunos que ingressaram no curso de medicina no Campi Paulo Freire da Universidade Federal do Sul da Bahia, em Teixeira de Freitas, a partir desta segunda-feira (26), iniciaram os estudos em fevereiro de 2015 e após três anos, concluíram o primeiro ciclo com o bacharelado interdisciplinar em saúde e a partir de agora terão mais 4 anos do curso especifico em medicina. O modelo de ensino da UFSB é igual ao desenvolvido no Canadá e nos Estados Unidos da América, onde primeiro o aluno se bacharela para se classificar e por meio das suas notas poderá ingressar no curso em que é candidato. Em regra para fazer medicina na UFSB serão 7 anos de curso, além posteriormente das especializações que serão buscadas pelo formando.

Foto 03As primeiras solenidades de colação de grau dos cursos de primeiro ciclo da Instituição ocorrem nos campi de Itabuna (Jorge Amado), Porto Seguro (Sosígenes Costa) e Teixeira de Freitas (Paulo Freire) respectivamente. Com a conclusão do primeiro ciclo, os estudantes, agora já bacharéis ou licenciados, participam de um Processo Seletivo Interno, no qual escolhem entre os cursos de segundo ciclo, como Antropologia, Artes do Corpo em Cena, Ciências Biológicas, Direito, Engenharia Agrícola e Ambiental, Engenharia Florestal da Sustentabilidade, História, Medicina, Oceanologia, Psicologia e Som, Imagem e Movimento. Esse segundo momento possibilita ao estudante um aprofundamento na área escolhida e uma graduação profissionalizante.

Foto 05Conforme a reitora em exercício, a professora doutora Joana Angélica Guimarães, o ano de 2018 marca a nova fase da Instituição, que trabalhará para a consolidação de seu modelo inovador, juntamente com a comunidade acadêmica. A UFSB possui cerca de três mil estudantes em seus campi e Colégios Universitários, localizados em oito cidades da Bahia: Ilhéus, Itabuna, Ibicaraí, Coaraci, Porto Seguro, Santa Cruz Cabrália, Teixeira de Freitas e Itamaraju.

Foto 06campi Paulo Freire da UFSB em Teixeira de Freitas, que é o campus de saúde da universidade, possui dois cursos de graduação: Medicina e Psicologia em Saúde Coletiva. O deputado federal Jorge Solla que foi secretário de Estado da Saúde na Bahia e foi um dos precursores do projeto, disse durante sua palestra para estudantes e convidados que a medicina ficou cara e o problema é manter o acesso para todos. Mas que é um orgulho para a Bahia e para Teixeira de Freitas está recebendo a primeira turma do curso de medicina na UFSB numa oportunidade histórica para os jovens, numa faculdade gratuita e de qualidade e, ainda comentou sobre os avanços da medicina e o desafio de oferecer um atendimento de qualidade a todos.

Foto 07O secretário Municipal de Educação, professor Hermon Freitas disse que um dos aspectos mais importantes da evolução da educação brasileira diz respeito à possibilidade de termos cursos de nível superior hoje, em áreas tão expressivas como a medicina, nas cidades que não sejam capitais e Teixeira de Freitas é a expressão dessa nova realidade. “As condições de ensino aqui na UFSB são diferenciadas e importantes para a formação de todas as profissões, especialmente a médica. No caso do curso de medicina, o projeto pedagógico se apresenta centrado no estudante como sujeito da aprendizagem – que, de acordo com a universidade, é orientada às necessidades de saúde da comunidade e no seu primeiro ciclo visa incentivar os acadêmicos de medicina a identificar aspectos de sua formação e participar nos rumos que a Medicina e os médicos devem trilhar nos novos tempos”, vislumbrou o professor Hermon Freitas.

Foto 08Segundo o coordenador do curso de medicina na UFSB, professor doutor Luiz Henrique Guimarães, o curso tem um desafio de oferecer uma medicina de alta qualidade na formação dos estudantes, para os problemas reais de saúde da população, enfrentados desde as Unidades Básicas de Saúde até os hospitais mais complexos. E destacou a preocupação da Universidade com a qualidade do curso a ser oferecido e destacou o refinado processo de seleção a que foram submetidos os acadêmicos. “Nossa maior honra é estarmos aqui hoje, é um marco histórico. Vamos fazer um excelente curso de medicina”, festejou.

Um dos 92 alunos do curso de medicina da UFSB é um jovem filho da cidade de Jucuruçu, Caio Rodrigues dos Santos, 29 anos, que há 9 anos se graduou em enfermagem, se pós-graduou em Obstetrícia, em Saúde da Família, em Gestão da Atenção Primária e atualmente cursa mais uma pós-graduação na área da Gestão em Saúde pela UESC – e, para ele, ingressar no curso de Medicina da UFSB, representa um sonho e uma enorme vontade de continuar cuidando das pessoas com mais conhecimento.

A nova aluna de medicina Kailla Miyakawa, 23 anos, é de Teixeira de Freitas e comemora poder realizar o sonho de cursar medicina na sua própria cidade. “É um grande sonho realizado, cursar medicina pertinho de casa, mas é também um grande desafio de hoje em diante, aqui, a proposta é diferente, trata-se de um curso que desde o início os alunos vão frequentar os ambientes onde fazemos a prestação de serviço de saúde, mas é, sobretudo, uma coisa muito boa e esse curso vai trazer, além da formação para nós, a oferta de novos profissionais para a nossa região”, ressaltou.

A acadêmica Luara da Silva Santos, 21 anos, que é da cidade de Gandú, no sul da Bahia e estudou a vida inteira na rede pública, cursou os primeiros três anos do bacharelado interdisciplinar no Campi Jorge Amado da UFSB em Itabuna e terminou classificada para ingressar na primeira turma do corso de medicina da Universidade Federal do Sul da Bahia, no Campi Paulo Freire em Teixeira de Freitas. Sobre o sonho da universidade, revelou que é preciso insistir sempre, nunca desistir, mesmo que ele pareça impossível. “É um sentimento de muita alegria. Tudo o que eu estudei valeu a pena. Ingressar em medicina numa instituição de ensino superior pública e de qualidade é sempre um grande sonho”, celebra Luara Silva. (Por Athylla Borborema)

  Categorias: