União das forças de segurança resulta na menor taxa de homicídios em 5 anos em Porto Seguro

União das forças de segurança resulta na menor taxa de homicídios em 5 anos em Porto Seguro
15 outubro 15:52 2016 Imprimir esta notícia

O governo da Bahia pela primeira vez comemora um feito inédito em que a cidade de Porto Seguro registrou no primeiro semestre deste ano a menor taxa de homicídios desde 2012 e tende a um número satisfatório de redução anual em dezembro de 2016. Porto Seguro vivia um caos com o alto índice de crimes de morte, especialmente originários da guerra pelo tráfico de drogas e latrocínios (roubo seguido de morte), além de assaltos à mão armada e invasões de áreas ambientais. Mas o novo serviço preventivo executado pela PM em 2016, reduziu tais índices drasticamente e já prevê um próximo verão de maior tranquilidade para quem visitará a terra mater.

O comandante do 8° Batalhão da Polícia Militar de Porto Seguro, major Anacleto França, que assumiu o comando do 8º BPM desde 23 de novembro de 2015, foi designando pelo comando geral da PM e pelo Governo da Bahia com a missão justamente de colocar ordem na casa e reduzir os índices de violência no município. Porto Seguro é o terceiro maior pólo turístico do Brasil e o comandante França destacou que essa queda é fruto da união de esforços das instituições da segurança pública do município, um trabalho de várias mãos e mentes comprometidas com a segurança da população e dos visitantes.

Segundo o major Anacleto Fraca que é considerado na Bahia, um dos oficiais mais qualificados do Estado, dentre a série de medidas, houve atuação sistematizada e dedicada de todos os policiais militares do 8º BPM, uma estratégia de atuação focada na prevenção e repressão qualificada de homicídios; o aperfeiçoamento da inteligência policial e uma gestão que permite aprimorar o uso dos recursos disponíveis pela PM.

Tão logo assumiu o comando do 8º BPM de Porto Seguro, o major Anacleto França levou consigo toda a sua equipe de confiança, inclusive homens de elite da CAEMA onde foi comandante, do 13º BPM onde foi subcomandante e da 7ª Companhia Independente onde foi comandante. França ocupou bairros tidos como problemáticos e passou a monitorar a orla marítima 24 horas por dia, empregando homens preparados e bons de logísticas, reduzindo os indicadores de crime, produzindo passo a passo uma melhor sensação de segurança na população e turistas.

O comandante Anacleto França admitiu que os números ainda não são satisfatórios e poderia ser melhor, pois cerca de 20% dos homicídios deste ano estão vinculados a fatores não alcançados pela prevenção policial, os chamados crimes passionais, fruto de desavenças pessoais, incluindo o envolvimento de  pessoas da mesma família em conflitos internos.

Os dados comprovam que à cidade de Porto Seguro registrou no primeiro semestre deste ano a menor taxa de homicídios desde 2012, de acordo com os dados divulgados pelo setor de estatísticas do 8° Batalhão da Polícia Militar. A taxa é calculada com base na quantidade absoluta de crimes, dividido pelo número de habitantes e multiplicado por cem mil. Em 2012, de janeiro a junho, o índice de homicídios foi de 0.58, passando para 0.43 em 2013; 0.48 em 2014; 0.37 em 2015 e, finalmente, 0.31 no mesmo período deste ano.

Na opinião do Chefe da Delegacia Regional da Polícia Federal, delegado Pancho Rivas, a redução dos homicídios no município foi resultado do trabalho coordenado das polícias militar, civil e federal, onde cada uma das forças pôde empregar os recursos próprios de suas expertises. O trabalho de inteligência, em especial para combater organizações criminosas que detinham altíssimo poder de fogo foi outro fator fundamental para a redução dos índices de violência. Por fim, a resposta estatal integrada serviu para desmistificar mitos e criminosos que até então serviam como “modelos” para a juventude na região.

O promotor de justiça Bruno Gontijo, titular da 6ª Promotoria Criminal da Comarca de Porto Seguro, disse que a sistematização do enfrentamento ao crime, especialmente os homicídios, permitiu alcançar tais resultados. Informou ainda que os principais integrantes de grupos criminosos foram presos e estão sendo devidamente responsabilizados pelos seus crimes por meio do devido processo legal, fundamental para reduzir a impunidade, fator importante na redução dos crimes na cidade.

Já a prefeita Cláudia Oliveira (PSD), enfatizou que a administração do município vem buscando colaborar dentro do seu papel, ressaltando o apoio sistemático e estrutural aos órgãos de segurança para um melhor desempenho das atividades da Polícia e da Justiça de modo geral. “A população se sente a cada dia mais segura e protegida com o resultado das ações dos órgãos de proteção”, elogiou a gestora.

O juiz André Strogenski, da 1ª Vara Criminal, destacou a atuação da Polícia Militar, mais especificamente do 8º Batalhão da Polícia Militar, na queda da criminalidade. “Sabe-se que o sistema criminal envolve não só o campo jurídico, tendo de existir uma força policial que se faça presente com a repressão e o respeito ao direito à segurança de toda a comunidade. Nesse sentido, nota-se, a olho nu, o aumento da presença da Polícia Militar no cotidiano da comunidade de Porto Seguro, o que fez diminuir diretamente os crimes dolosos contra a vida e os crimes em geral. Com a união, há de se prevalecer a ordem e a cidadania”, destacou o magistrado.

Por fim, o titular da Policia Civil no município de Porto Seguro, Delmar Araújo, atribui a redução dos homicídios ao trabalho de integração entre as forças de Segurança e o apoio do Ministério Público e da Justiça Criminal. Segundo ele, foram neste período realizadas pela Polícia Civil, importantes e pontuais investigações com a elucidação de crimes graves e prisões dos principais homicidas de Porto Seguro e região.

“A Polícia Civil por sua própria natureza que é uma polícia investigativa, age de forma discreta e às vezes não tem a visibilidade desses trabalhos de identificação do autor do crime, prova da materialidade e as circunstâncias de como o delito aconteceu. E é essencial destacar que a realização desse trabalho em conjunto perpetrado pela Polícia Judiciária e demais forças de segurança tem o apoio da 23ª Coordenadoria Regional da Polícia Civil e do Departamento de Polícia do Interior da Polícia Civil, que foi fundamental para que Porto Seguro estivesse inserido nesse processo exitoso o qual daremos continuidade para reduzir ainda mais os indicadores de violência”, ressaltou o delegado Delmar Araújo. (Por Athylla Borborema).

  Categorias: