Vereadores de Itamaraju pedem socorro por um delegado de plantão nos finais de semana

Vereadores de Itamaraju pedem socorro por um delegado de plantão nos finais de semana
Vereadores Mazuk Ribeiro, Kêu de Júlio Martins. Jânio Dias, Luiz Pita e Rubens do Hospital
22 junho 12:24 2016 Imprimir esta notícia

A Câmara Municipal de Itamaraju, que atualmente é presidida pelo vereador Francisco Barbosa ‘Chico do Hotel’, realizou na noite desta terça-feira, dia 21 de junho, mais uma sessão ordinária, marcada basicamente pelos debates sobre os últimos acontecimentos envolvendo o Executivo Municipal, sobretudo após a posse interina do vice-prefeito Luiz Mário (PSD) e a saída da secretária municipal de Finanças, Lucilene Curvelo, bem como as dificuldades que a cidade vem enfrentando com a falta de um delegado de plantão durante os finais de semana.

Essa deficiência, segundo o vereador Jânio Dias, estaria acarretando numa série de dificuldades para os moradores da cidade, incluindo demora para liberação de corpos no Instituto Médico Legal (IML) e deslocamentos desnecessários e onerosos por parte da Polícia Militar, que ao prender qualquer acusado aos sábados e domingos, precisa deslocar-se até o município de Teixeira de Freitas, que concentra o plantão regional. “Ao ser deslocada uma guarnição até Teixeira de Freitas é inevitável que nossa cidade vai ficar desguarnecida. Isso não devemos mais admitir”, falou.

O vereador Jânio Dias foi aparteado por outros vereadores da cidade, que solicitaram à mesa da Câmara a formalização de um pedido aos deputados federais Ronaldo Carletto, Valmir Assunção e Paulo Magalhães, que sempre obtiveram boas votações no município, para que os mesmos intercedam junto ao Governo do Estado, objetivando encontrar uma solução para o problema.

Ainda em seu pronunciamento, Jânio Dias deu o exemplo de um acontecimento do último final de semana, quando três rapazes da cidade perderam a vida durante um acidente de motos. “Esses jovens morreram no início da noite e os seus familiares pernoitaram em frente ao IML, pois os corpos só foram liberados na manhã do dia seguinte. Isso implica em sofrimento para os parentes e evidencia que nós, como representantes da população, precisamos fazer alguma coisa. Cadê os nossos deputados?”, questionou Dias. (Por Ronildo Brito)

  Categorias: