Arrastaram: Habib’s afasta funcionários após morte de adolescente

04 março 23:56 2017 Imprimir esta notícia

O Habib’s informou nesta sexta-feira (3), por meio de nota, que afastou funcionários que trabalhavam em unidade da Avenida Itaberaba, na Zona Norte de São Paulo, no momento da confusão envolvendo o adolescente João Victor Souza, de 13 anos, no último domingo (26). Ele morreu após parada cardiorrespiratória perto da lanchonete. O garoto era conhecido na região por pedir esmola e comida.

O Habib’s não informou quantos funcionários foram afastados e nem que cargos ocupavam. A Polícia Civil investiga se o menor morreu em decorrência de uma agressão ou por causa de um mal súbito. O caso é apurado como ‘morte suspeita’ a esclarecer pelo 28º Distrito Policial (DP), na Freguesia do Ó.

O boletim de ocorrência informa que a Polícia Militar (PM) tinha ido ao local atender uma ocorrência de agressão, e o pai do garoto disse ter a informação de que seu filho havia sido agredido no Habib’s. Funcionários deram outra versão: que foram repreender o menino, que saiu correndo, teve um mal súbito e caiu.

Na quarta-feira (1º), uma catadora de material reciclável havia ido à delegacia e acusado funcionários do Habib´s de perseguirem João. Ela ainda disse ter visto um deles, usando uniforme da lanchonete, segurar o garoto pela gola da camisa e dar um soco na cabeça dele. O garoto estaria pedindo esmola e ameaçando quebrar os vidros da loja e dos carros de clientes com paus.

Empregados que pediram para não ser identificados, no entanto, negaram a versão da mulher. Contaram que foi um cliente que agrediu o garoto. “Um cliente deu um ‘croc’ na cabeça do menino”, disse um dos funcionários à reportagem. “Nenhum empregado do Habib´s o agrediu, como acusou essa catadora”. (Informaçôes: G1)

  Categorias: