Arrecadação do ICMS na Bahia cresce o dobro da média nacional em 2015

Arrecadação do ICMS na Bahia cresce o dobro da média nacional em 2015
18 fevereiro 10:17 2016 Imprimir esta notícia
Com um crescimento nominal de 6,48% na arrecadação do ICMS em 2015, quase o dobro da média nacional (3,62%), a Bahia também ampliou a participação relativa no somatório do imposto arrecadado em todo o país. Sexto do ranking nacional, o estado alcançou 4,8% de participação no ICMS total, ante 4,7% em 2014. O desempenho confirmou a tendência de recuperação da capacidade do fisco baiano nos últimos anos, com a participação do estado subindo constantemente desde o patamar de 4,3% em 2012.
No total, a Bahia arrecadou R$ 19,3 bilhões de ICMS no ano passado, enquanto em 2014 foram R$ 18,1 bilhões. O crescimento baiano foi superior ao de estados como Rio Grande do Sul (4,92%), Rio de Janeiro (3,6%), São Paulo (2,57%), Pernambuco (1,43%) e Minas Gerais (-0,89%). Apenas o Paraná registrou crescimento maior, chegando a 9,32%. Em conjunto, a arrecadação do imposto entre os dez maiores estados cresceu nominalmente 3,14%, um pouco menos que a média nacional.

O secretário estadual da Fazenda, Manoel Vitório, lembra que a arrecadação superior à media nacional nos últimos anos e o esforço de controle dos gastos públicos estão no cerne do equilíbrio fiscal obtido pela Bahia. “No que diz respeito à arrecadação, temos atuado intensamente tanto no combate à sonegação, com a equipe da Sefaz trabalhando em forte parceria com o Ministério Público Estadual, a Polícia Civil e a Procuradoria Geral do Estado, quanto na modernização tecnológica do fisco, com um pacote de iniciativas reunidas no programa Sefaz On-Line, que inclui abordagens baseadas na nova realidade de dados digitais, como acontece com a Malha Fiscal Censitária”, observa.

Mesmo que a arrecadação não tenha conseguido superar a escalada inflacionária registrada em 2015, registrando perda real como ocorrido com todos os demais estados, o governo baiano fechou o ano com os pagamentos de servidores e fornecedores em dia, e foi destaque entre as maiores economias ao manter o nível de investimento do ano anterior. O governo também vem ampliando os esforços fiscais para assegurar a continuidade deste desempenho em 2016, observa o secretário. Diversos estados brasileiros parcelaram o pagamento da folha salarial no ano passado, e estados como Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul fizeram o mesmo com o décimo terceiro. (Da redação TN)
  Categorias:

Comente a matéria

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Comentários anônimos (perfis falsos ou não) ou que firam leis, princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas podem ser excluídos caso haja denúncia ou sejam detectados pelo site. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, entre outros, podem ser excluídos sem prévio aviso. Caso haja necessidade, também impediremos de comentar novamente neste site os perfis que tiveram comentários excluídos por qualquer motivo. Comentários com links serão sumariamente excluídos.