Bahia: PM que matou estudante de Direito é preso e levado para Batalhão de Choque

Bahia: PM que matou estudante de Direito é preso e levado para Batalhão de Choque
11 janeiro 17:53 2016 Imprimir esta notícia

O policial militar Edson dos Santos Trindade, de 37 anos, apontado como autor da morte da estudante de Direito Ekelânia Faro de Menezes, 29, foi preso na noite deste domingo (10) em Salvador. Segundo o corregedor plantonista, capitão Rômulo Cézar, Edson foi levado para a Corregedoria da PM por volta das 20h30, depois de ter sido ouvido no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Edson foi preso temporariamente e encaminhado para o Batalhão de Choque, em Lauro de Freitas. O crime está sendo investigado pelo delegado Marcelo Sansão.

A estudante Ekelânia foi morta com um tiro no pescoço no apartamento onde o soldado morava, no bairro do Trobogy, em Salvador, na sexta-feira (8). O corpo dele foi enterrado no sábado (9), no Cemitério Municipal de Itabaiana, em Aracaju.

Segundo Everlady Faro, irmã de Ekelânia, ela e Edson eram colegas da mesma turma do curso de Direito. “Não eram namorados, nem nunca foram. Só faziam faculdade juntos”, esclareceu. Para ela, a irmã foi morta porque não aceitou a proposta de namorar do soldado.

Edson ingressou na Polícia Militar em 2008 e era lotado na 40ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Nordeste de Amaralina). Edson já era conhecido pela vizinhança pelo comportamento agressivo. Moradores do prédio contaram que há cerca de um ano, o PM deu um tapa no rosto de uma vizinha e apontou uma arma para a cabeça dela durante a discussão. (Informações: Correio)

  Categorias:

Comente a matéria

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Comentários anônimos (perfis falsos ou não) ou que firam leis, princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas podem ser excluídos caso haja denúncia ou sejam detectados pelo site. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, entre outros, podem ser excluídos sem prévio aviso. Caso haja necessidade, também impediremos de comentar novamente neste site os perfis que tiveram comentários excluídos por qualquer motivo. Comentários com links serão sumariamente excluídos.