Campanha de combate ao HIV/Aids no Carnaval é lançada na Bahia

Campanha de combate ao HIV/Aids no Carnaval é lançada na Bahia
31 janeiro 11:22 2016 Imprimir esta notícia

Diversas atividades acontecem antes e durante o Carnaval 2016, através de parceria entre o Governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde (Sesab), com o governo federal, representado pelo Ministério da Saúde (MS). O lançamento da campanha nacional de prevenção ao HIV/Aids, realizada nesta sexta-feira (29), no Palácio da Aclamação, no bairro do Campo Grande, marcou o início da campanha no estado. Autoridades, personalidades, profissionais de saúde e artistas, entre eles músicos do bloco afro Ilê Aiyê, participaram do evento em Salvador.

De acordo com o diretor do Departamento de DST/Aids e Hepatites Virais do MS, Fábio Mesquita, além do Rio de Janeiro, nos últimos anos, a campanha tem sido lançada também na capital baiana porque a Bahia tem a característica de liderar o Carnaval de toda a região nordeste. “É um lugar que atrai turistas do mundo inteiro, onde as pessoas brincam na rua. Um carnaval diferente do sudeste do Brasil. Neste sentido, achamos extremamente importante fazer um lançamento customizado para a região”.

Público jovem

Ainda conforme Mesquita, o público jovem (15 a 24 anos) está no foco da ação que, além de ressaltar a importância do uso de preservativos, sensibiliza as pessoas que tiveram relação sexual sem proteção a realizar a profilaxia pós-exposição (PEP). O procedimento consiste do uso de quatro medicamentos anti-retrovirais (tenofovir, lamivudina, atazanavir e ritonavir) por 28 dias consecutivos.

Com eficácia em torno de 95%, a combinação de medicamentos impede a multiplicação do vírus no organismo. “Todo o teor da campanha após a Quarta-feira de Cinzas é relacionado à PEP, que é a pílula dos 28 dias seguintes. A pessoa que sofreu um ‘acidente’, esqueceu de usar a camisinha ou estourou a camisinha durante o Carnaval, tem a possibilidade de usar o medicamento que vai impedir a replicação do HIV e, portanto, que a pessoa contraia a Aids”.

testedDurante o lançamento, o subsecretário da Sesab, Roberto Badaró, observou que “o Carnaval é uma festa importante, em que as pessoas ficam mais livres. É preciso [ter] a responsabilidade de fazer sexo protegido para não transmitir a outra pessoa ou contrair o vírus”.

Quem compareceu ao evento no Palácio da Aclamação, além de receber preservativos masculinos, femininos e lubrificantes íntimos, teve a possibilidade de realizar testes rápidos de HIV por meio de fluido oral (saliva). A estudante de Fisioterapia, Janira Ferreira, moradora do bairro de Nazaré, em Salvador, fez o teste e elogiou a iniciativa.

“É fundamental a gente incentivar estas campanhas de prevenção do vírus HIV. É importantíssimo fazer o teste e prevenir, usar camisinha, não somente agora, neste momento de Carnaval. […] A campanha tem que se perpetuar durante o ano”, disse Janira. (Da redação TN)

  Categorias:

Comente a matéria

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Comentários anônimos (perfis falsos ou não) ou que firam leis, princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas podem ser excluídos caso haja denúncia ou sejam detectados pelo site. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, entre outros, podem ser excluídos sem prévio aviso. Caso haja necessidade, também impediremos de comentar novamente neste site os perfis que tiveram comentários excluídos por qualquer motivo. Comentários com links serão sumariamente excluídos.