Campanha de Flávio Bolsonaro para o Senado teve a participação de irmãos milicianos

Campanha de Flávio Bolsonaro para o Senado teve a participação de irmãos milicianos
22 fevereiro 21:27 2019 Imprimir esta notícia

O nome do senador e ex-deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) voltou à mídia em mais uma situação, no mínimo, delicada. Além de ter empregado em seu gabinete na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) a mãe e a mulher do chefe do “Grupo de Milicianos”, o filho de Jair Bolsonaro (PSL) deu as suas contas de campanha para o Senado à irmã de outros dois criminosos.

Valdenice de Oliveira Meliga trabalhava no gabinete de Flávio na Alerj e assinou cheques de despesas de campanha em nome dele. O problema é que Valdenice é irmã de Alan e Alex Rodrigues de Oliveira, presos na operação Quarto Elemento, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e do Ministério Público do Rio de Janeiro, em agosto de 2018.

Flávio assinou uma procuração para Valdenice administrar os gastos de campanha, conforme documento enviado à Justiça Eleitoral. Antes de serem presos, os milicianos participaram de ações da campanha do senador.

A relação deles é antiga. No Instagram, o então deputado estadual aparece ao lado dos três irmãos, em um registro de outubro de 2017. Jair Bolsonaro também aparece na imagem, cuja legenda foi: “Parabéns Alan e Alex pelo aniversário. Essa família é nota mil!!!”.

Após a prisão de Alan e Alex, Flávio chegou a mandar uma nota ao jornal “O Estado de S.Paulo”, afirmando que “eles são irmãos da Valdenice, que é um dos pilares do nosso trabalho de política aqui no Rio. Mas os irmãos dela não trabalham comigo. De vez em quando aparecem (nas agendas), mas não têm vínculo nenhum comigo”. (Informações: Isto É)

  Categorias: