Coletivo das Artes Motirô e Colégio Henrique Brito se unem em noite cultural

Coletivo das Artes Motirô e Colégio Henrique Brito se unem em noite cultural
15 fevereiro 23:39 2019 Imprimir esta notícia

Os alunos do Colégio Henrique Brito terão oportunidade de participarem de uma noite cultural da maior importância. O Coletivo das Artes Motirô e a direção da escola estarão, na noite do dia 19 de fevereiro, a partir das 19 horas, exibindo para as salas de aula o filme “A menina que roubava livros” e, em seguida, inaugurando mais um ponto de leitura.

A iniciativa é mais um passo na programação cultural do Coletivo, que está espalhando pela cidade diversos pontos de leitura, em  formas de geladeiras usadas que, depois de plotadas, são colocadas em pontos anteriormente escolhidos em locais públicos ou escolas. Nas geladeiras, são colocados livros doados ao Coletivo, podendo esses livros ser usados para leitura no local, ou até retirados para leitura em casa, sem qualquer formalidade. A meta é colocação de 10 pontos de leitura na cidade e a iniciativa vem sendo elogiada pelos mais diversos segmentos da sociedade.

A escolha do filme para a ocasião se dá como um complemento ao incentivo à leitura. Depois da exibição do filme e da inauguração do ponto de leitura, haverá uma roda de conversa com os alunos sobre a temática da película, discussão que será mediada pelo advogado Abmael Borges Sampaio, fanático por cinema e profundo conhecedor da Sétima Arte.

O FILME

Baseado no romance homônimo de Markus Zuzak, “A Menina que roubava livros” é uma produção teuto-americana de 2014 e conta a história da jovem Liesel Meminger, uma garota que vive com os pais adotivos na Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial. Apaixonada por livros, ela acaba desenvolvendo o hábito de “roubar” obras para ler para o amigo Max, um judeu que mora clandestinamente em sua casa. Narrada pela Morte, de forma inconstante, mas curiosa, a trama tem como ponto mais interessante a relação entre Liesel (Sophie Nélisse) e seu amiguinho Rudy (Nico Liersch). Os jovens estão bem naturais e transmitem bem a inocência e, ao mesmo tempo, a vontade de descobrir o mundo das crianças.

Os ótimos Geoffrey Rush e Emily Watson  vivem os pais adotivos da protagonista, papéis quadrados e pouco complexos. Rush é o pai acolhedor e que tem momentos de quase criança, enquanto que Watson é o centro da família, uma figura dura e mal-humorada.

A crítica, com algumas ressalvas à falta de emoção, recebeu  bem o filme, que retrata a época da Segunda Guerra e o drama da Alemanha na discriminação aos judeus. A duração do filme é de 131 minutos, com censura para menores de 10 anos e é dirigido por Brian Percival, tendo em seu elenco como nomes principais Geoffrey Rush, Emily Watson e Sophie Nélisse.

PONTOS DE CULTURA

A escolha de Escola Henrique Brito pelo Coletivo das Artes Motirô para a colocação de mais um Ponto de Leitura plotado se deveu ao grande interesse da escola, uma das maiores do estado na cidade, e a visão de sua diretora, Shirley Christina Bonfim Cancela, que enxerga a necessidade da leitura como um fator essencial para o desenvolvimento pedagógicos dos alunos.

O Coletivo das Artes Motirô se dirige aos empresários teixeirenses que quiserem patrocinar um ponto de leitura em forma de plotagem, onde constará o nome da empresa doadora. Qualquer esclarecimento, contato com Kátia Aslene, pelo fone 998333137. (Por Ramiro Guedes)

  Categorias: