Comentário: O crime do carteiro, a lei, a apresentação e a saída da Delegacia pela porta da frente

07 março 18:06 2016 Imprimir esta notícia

No último dia 22 de fevereiro, foi apresentado à Delegacia da Polícia Civil de Itamaraju, Ericles Campos de Oliveira, acusado de encomendar a morte do carteiro Wellington de Araújo Santos, de 35 anos, alvejado a tiros no início da noite de 17 de fevereiro, em plena avenida Getúlio Vargas, no centro comercial itamarajuense. Ao contrário de Eric Barreto Sales, de 28 anos, executor e Luciana de Jesus, esposa de Wellington e amante de Ericles, que saberia do que ia acontecer e teria permanecido calada, que foram presos, o mandante apresentou-se em companhia de um advogado e deixou a prisão pela porta da frente.

Ronildo Brito e jornalista, radialista, gestor ambiental e editor de política do Teixeira News.

  Categorias:

Comente a matéria

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Comentários anônimos (perfis falsos ou não) ou que firam leis, princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas podem ser excluídos caso haja denúncia ou sejam detectados pelo site. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, entre outros, podem ser excluídos sem prévio aviso. Caso haja necessidade, também impediremos de comentar novamente neste site os perfis que tiveram comentários excluídos por qualquer motivo. Comentários com links serão sumariamente excluídos.