Dinheiro público usado em festejos juninos pode levar cidades à falência

Dinheiro público usado em festejos juninos pode levar cidades à falência
23 junho 10:03 2017 Imprimir esta notícia

Enquanto a gestão da cidade de Teixeira de Freitas e outras da região lutam para organizar as finanças dos municípios, evitando gastos com a realização das festas juninas, cidades do Extremo Sul, como Itamaraju e Medeiros Neto, parecem não se preocupar com os gastos exorbitantes na realização de eventos e optam pela política do pão e circo, afinal, a festa é realizada mesmo não contando com recursos oficiais da Bahiatursa. Os únicos municípios da região que contaram com esses recursos foram Prado, Nova Viçosa e Ibirapuã.

É preciso que os gestores entendam que o momento é muito crítico para os municípios, com a queda da arrecadação e o aumento das despesas, principalmente com as folhas de pagamento, devido aos reajustes legais e, também, em alguns casos, aonde as folhas foram inchadas com a política clientelista dos prefeitos, transformando a prefeitura em cabide de empregos, atendendo a compromissos políticos.

sao1Fato que vem chamando bastante atenção é a contração de cantores e bandas conhecidas nacionalmente, custando uma verdadeira fortuna, o que poderia ser evitado se os organizadores dessem espaço para atrações regionais e artistas da terra, o que não vem acontecendo. Ao povo, só resta reclamar e pagar a conta.

sao2Recentemente, a Prefeitura de Itamaraju divulgou a programação da festa de São João, que conta com nomes como Michel Teló, Falamansa, Mastruz com Leite, Lordão e Cheiro de Forró. Enquanto a população acompanhou a saída de mais um dos principais profissionais do Hospital Municipal. Um anestesista, com vasta experiência na área, saiu que por não ter condições de trabalho.

Em sua mensagem de despedida, o profissional desabafou: “Quem quer que as coisas funcionem direito incomoda, e não irei incomodar mais!”. Em outra parte do texto o médico ainda diz: “só para lembrar, não recebo pagamento desde março”.

Um morador usou as redes sociais para mostrar sua insatisfação e fazer algumas denúncias. “Se tratando de descaso com nossas crianças, eu não consigo me omitir a denunciar essa vergonha que ocorre em Itamaraju. Hoje (14/6) de madrugada recebi o registro onde 20 crianças são obrigadas a se amontoar em um veículo que só cabem 9 pessoas, e mesmo correndo riscos, tentam buscar conhecimento para quem sabe ter uma vida melhor. Porém, esse é o tratamento que recebem do governo que usa o slogan ‘Pra cuidar e viver’. Aí me pergunto: ‘Mas cuidar de quê?’”, desabafou. (Foco no Poder)

  Categorias: