Espírito Santo: Pai mata filho durante discussão de família no almoço de Natal

Espírito Santo: Pai mata filho durante discussão de família no almoço de Natal
27 dezembro 09:59 2015 Imprimir esta notícia

Um almoço de Natal terminou em tragédia no interior de Água Doce do Norte, no Noroeste do Espírito Santo. Um pai confessou à Polícia Civil ter matado o próprio filho com um tiro no peito, durante uma discussão de família. O crime aconteceu no distrito de Governador Lacerda de Aguiar, conhecido como Rio Preto.

Segundo o delegado plantonista de Barra de São Francisco, Douglas Trevizani Sperandio, a confusão começou após o almoço de Natal, quando Francelino José de Oliveira, 72 anos, passou a bater no neto de 11 anos e o ex-cunhado foi defender o menino.

Depois disso, de acordo com o delegado, o filho de Francelino, Valtair José de Oliveira, 31 anos, e a esposa tentaram separar os dois e conseguiram. Mesmo assim, Francelino falou que queria matar o ex-cunhado, entrou em casa e pegou a espingarda.

“Nesse momento o rapaz foi embora. O filho falou com o pai que ele estava errado e que o neto não tinha feito nada. Francelino acabou puxando o gatilho e atingiu o filho no peito”, disse Sperandio.

Valtair chegou a ser socorrido para o Hospital Doutora Rita de Cássia, em Barra de São Francisco, mas não resistiu aos ferimentos.

Além de atirar no próprio filho, o pai teria dificultado o socorro da vítima. Segundo o delegado, a esposa disse que, logo após o disparo, Francelino apontou a espingarda para os familiares, impedindo que o filho fosse socorrido. “Só foi possível o socorro porque foi aglomerando gente e Francelino acabou fugindo”.

O suspeito foi detido no mesmo dia com a espingarda usada no crime. Segundo a Polícia Militar, Francelino estava escondido dentro de uma matinha, próxima ao local conhecido como “pinicão”.

Ele não resistiu à prisão e foi levado inicialmente para o mesmo hospital que o filho foi socorrido, pois apresentava algumas escoriações. Ele disse à Polícia Militar que foram decorrentes das agressões feitas pelo ex-cunhado e pelo próprio filho.

O delegado informou que Francelino confessou o crime, mas alegou legítima defesa. “Ele alega que o filho partiu para cima dele, mas as testemunhas dizem o contrário”.

À Polícia Militar, Francelino contou que o seu neto o xingou e, por isso, foi “corrigi-lo” com uns tapas. O ex-cunhado não aceitou e começou a agredi-lo. Depois disso, o filho também passou a agredir o pai.

Para se defender das agressões do filho, Francelino disse que entrou em casa e pegou uma espingarda. Ele alertou que Valtair não entrasse na casa, mas o filho seguiu até a janela para surpreender o pai e continuar as agressões. Nesse momento, Francelino disparou contra Valtair.

Ele foi autuado por homicídio qualificado, com base em motivo fútil e por ter impossibilitado a defesa da vítima, e por posse de arma de fogo. Na casa dele, a polícia encontrou mais duas garruchas.

O suspeito foi transferido para o Centro de Detenção Provisória de São Domingos do Norte-ES., na tarde deste sábado (26). A pena máxima para os crimes pode chegar a 33 anos de prisão.

Suspeito havia bebido

De acordo com o delegado Douglas Trevizani Sperandio, o acusado estava visivelmente embriagado. “Todas as testemunhas disseram que ele havia bebido. Ele próprio admitiu que tinha tomado cachaça”. (Informações: A Gazeta)

  Categorias: